Moto Z chegará ao Brasil com processador 20% mais lento

Por Redação | em 17.06.2016 às 22h41 - atualizado em 21.06.2016 às 12h17

Moto Z

Atualização - 21/06 às 12:18

Em contato com nossa redação através de sua assessoria, a Motorola alegou que a diferença de frequência do processador do Moto Z não acarreta diferenças significativas de desempenho entre as versões do smartphone comercializadas nos EUA e no restante do mundo. Ainda de acordo com a companhia, a decisão de adotar um processador mais potente no mercado norte-americano visa "atender à necessidade específica da rede celular local".

Embora não tenha detalhado qual "necessidade específica" é essa, a empresa do grupo Lenovo ressalta:

"Assim como os Estados Unidos têm requisitos específicos, no Brasil, por exemplo, incluímos algumas funcionalidades como TV Digital (no Moto G4), ou Dual SIM Inteligente em toda a família Moto, incluindo o Moto Z; que não existem em outros países do mundo e que foram desenvolvidas para o nosso consumidor, por sua relevância local".

Nota original

A Lenovo, dona da marca Motorola, confirmou que o Moto Z, seu mais recente smartphone de topo de linha, chegará ao Brasil com configurações inferiores em relação às encontradas no exterior. A redução no poderio do dispositivo deve ser de cerca de 20% e, de acordo com as informações da fabricante, acontece tanto no processador quanto na GPU.

No Brasil, o Moto Z chegará ainda com o Snapdragon 820 encontrado nas edições internacionais, mas rodando a 1,8 GHz, ao contrário dos 2,2 GHz encontrados lá fora. Além disso, em vez do processamento gráfico de 624 MHz e memória de 1,866 MHz, os valores serão reduzidos para 510 MHz e 1,333 MHz, respectivamente.

A redução não é exclusividade dos brasileiros e deve acontecer também em outros países do mundo, como a Alemanha. Por outro lado, nenhum dos outros recursos do Moto Z deve ser deixado de lado em sua chegada ao nosso país, e isso inclui até mesmo as capas modulares, que podem ser encaixadas na parte traseira e adicionarem novos recursos ao smartphone.

A Motorola não explicou as razões para a diminuição no poder de processamento do Moto Z. A diferença, por outro lado, não deve ser tão sentida assim, já que se trata apenas de um downgrade do mesmo processador encontrado lá fora, e não a troca do componente por um de padrão menor, como aconteceu com o LG G5, cujo processador Snapdragon 820 foi substituído pelo inferior modelo 652 para seu lançamento no país.

O Moto Z chega ao Brasil em setembro rodando o sistema operacional Android Marshmallow. A tela é de 5,5 polegadas e traz resolução Quad HD. A memória RAM é de 4 GB e o dispositivo traz ainda 64 GB de armazenamento interno, expansível em mais 2 TB por meio de cartões microSD, além de câmeras traseira de 13 MP e frontal de 5 MP.

Via Adrenaline

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome