Brasil é líder em propagação de trojans bancários, revela ESET

Por Redação | em 22.06.2016 às 12h04

Malware

Segundo um relatório da ESET, empresa de segurança da informação, o Brasil é líder na propagação de trojans bancários. O levantamento mostra que, entre os meses de maio e junho deste ano, os trojans bancários constam como uma das dez ameaças mais encontradas no país, em especial a família TrojanDownloader.Bandload, cujo intuito é enganar as soluções de segurança e realizar o download de códigos maliciosos voltados a roubar credenciais bancárias.

Foi identificado que a propagação dos códigos maliciosos no Brasil acontece, principalmente, por meio da engenharia social, a qual visa enganar a vítima para que ela permita a instalação de algum malware em seu computador, por meio de acesso a sites falsos, links maliciosos, compartilhamento de informações pessoais, entre outros. A forma mais comum que os cibercriminosos utilizam para distribuição de tais códigos maliciosos é campanhas de phishing, nas quais as mensagens com anexos ou links maliciosos são enviadas para uma grande quantidade de e-mails, induzindo os destinatários a abri-los.

No Brasil, o relatório mostra que a maioria das campanhas de phishing utilizou malwares da família Java/TrojanDownloader.Bandload, identificados em 93% dos casos. Já em base global, este tipo de trojan é o terceiro mais usado pelos cibercriminosos. Em uma das amostras analisadas pela ESET, foi identificado o Java/TrojanDownloader.Banload.BD, executável JAR que se instala na execução automática do Windows e escreve scripts VB no disco, executado para realizar o download do playload final. Esta amostra foi detectada em e-mails supostamente relacionados a pedidos de orçamentos, acompanhados de breves mensagens. 

“O grande volume de detecção de ataques bancários, que hoje é a principal ameaça virtual no país, mostra que esses trojans agem de forma especifica no país. A atuação acontece por meio de campanhas de phishing propagadas por e-mails infectados”, afirma o Country Manager da ESET Brasil, Camillo Di Jorge. “Essa ameaça reforça uma questão importante que é a educação dos usuários na internet. As pessoas precisam estar cientes desse tipo de ataque e tomar cuidado ao abrir e-mails de remetentes desconhecidos, além de manter sua solução de segurança sempre atualizada”.

Como forma de evitar golpes de pishing, é sempre recomendável ler com atenção as mensagens recebidas por e-mail, e desconfiar de mensagens inesperadas, que demandam ações imediatas. Outra maneira de manter os computadores protegidos é utilizar uma solução antimalware atualizada. Além disso, é recomendável utilizar uma proteção de firewall e inspeção de acesso web.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome