Chineses perdem a fé na Samsung e estão mudando para a Apple

Por Redação | em 28.09.2016 às 06h59

Galaxy Note 7

É impossível estar alheio aos casos de explosão envolvendo o Galaxy Note7 em todo o mundo. O que era para ser um dos smartphones mais badalados da atualidade, acabou se tornando uma baita dor de cabeça para a Samsung, que teve de suspender as vendas do dispositivo e anunciar um recall global para evitar que o número de incidentes crescesse. O problema é que esse recall global não inclui a China, o que vem irritando muitos usuários e os fazendo mudar para a Apple.

O que acontece é que investigações da fabricante identificaram que o problema dos Note7 explosivos é a bateria produzida pela Samsung SDI. No caso da China, porém, as baterias adotadas foram manufaturadas pela Amperex Technology, o que tecnicamente livraria o aparelho de incidentes como os que estamos vendo. Tecnicamente.

Alguns usuários chineses relataram que tiveram, sim, problemas de superaquecimento com o Note7 e alguns viram seu phablet simplesmente pegar fogo. Apesar desses casos, a Samsung se esquivou da culpa e bateu o pé dizendo que não iria estender o recall para o país asiático.

51,9% dos 12 mil entrevistados alegam que mudarão de marca; 29,6% não estão preocupados com as explosões do Note7; e 18,5% estão considerando uma mudança.

51,9% dos 12 mil entrevistados alegam que mudarão de marca; 29,6% não estão preocupados com as explosões do Note7; e 18,5% estão considerando uma mudança (Imagem: Reprodução / iiMedia) 

A atitude, obviamente, gerou uma satisfação gigantesca, que foi traduzida em números pela iiMedia Research. Ouvindo 12 mil usuários da Samsung na China, a pesquisa descobriu que 51,9% deles irão mudar de marca na compra do próximo smartphone. Desse total, 37% disseram que o próximo dispositivo que comprarão será da Apple, enquanto 26% irão de Huawei.

A pesquisa mostra que a austeridade da Samsung na China pode lhe custar sua já pequena fatia de mercado, que vem diminuindo desde 2013. Naquele ano, a empresa detinha respeitáveis 21% de participação no mercado chinês. De lá para cá, com o surgimento de concorrentes como Xiaomi, Meizu e Huawei e os investimentos da Apple para aumentar sua participação no mercado, essa fatia foi reduzida e atualmente é de apenas 8%.

Dos que vão mudar, 36,8% comprarão um iPhone; 26,3% vão para a Huawei; 10,5% para a Oppo; 10,5% para Vivo e 7,9% para a Xiaomi

Dos que vão mudar, 36,8% comprarão um iPhone; 26,3% vão para a Huawei; 10,5% para a Oppo; 10,5% para Vivo e 7,9% para a Xiaomi (Imagem: Reprodução / iiMedia) 

Caso não consiga trazer o Galaxy Note7 de volta aos trilhos e os aparelhos continuem apresentando problemas, o cenário de insatisfação que se configura na China certamente se repetirá no restante do mundo. E vai ser difícil mudar a percepção pública sobre a marca se isso realmente acontecer.

Via PhoneArena

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome