Robô inspirado em abelhas é capaz de nadar e mergulhar, além de voar

Por Redação | em 22.10.2015 às 10h11

Robôs capazes de voar não são exatamente uma novidade, mas um dispositivo robótico que voa e que também consegue mergulhar é algo inédito. Pois o RoboBee, inspirado em abelhas, é o primeiro desenvolvido com essas duas habilidades. A criação é de um grupo de engenheiros da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e poderá ser muito mais útil em aplicações práticas do que robôs restritos a somente um meio.

O robô tem o tamanho de um inseto e conta com um impulso vertical mais forte que a força da gravidade para conseguir se mover pelo ar como as abelhas. Além disso, ele também é capaz de gerar empuxo traseiro para combater a força da água e, dessa forma, conseguir se mover no líquido.

“A partir de vários estudos teóricos, computacionais e experimentais, nós conseguimos encontrar mecanismos de propulsão que são bastante similares tanto no ar quanto na água”, contou Kevin Chen, engenheiro que participou do projeto. “Em ambos os casos, as asas do robô realizam movimentos de vai e vem. A única diferença é a velocidade com que as asas batem”, explica. 

RoboBee

A imagem mostra detalhes da construção do RoboBee (Reprodução: Harvard)

Para que o RoboBee consiga se manter no ar, suas asas batem em uma frequência de 120 batimentos por segundo. Já para conseguir nadar, essa rotação precisa ser reduzida para somente 9 batimentos por segundo, uma vez que a densidade da água é de quase mil vezes a do ar e, caso o robô mantivesse os batimentos acelerados dentro da água, as frágeis asas acabariam se quebrando.

Quanto ao mergulho, a equipe enfrentou alguns desafios, pois o peso leve do robô o tornaria incapaz de vencer a tensão da superfície da água. A solução surgiu a partir de uma ideia aparentemente boba, mas que deu certo: o mergulho acontece quando o robozinho para de bater suas asas e deixa a gravidade fazer seu papel.

No vídeo a seguir, publicado no canal do YouTube da Harvard, podemos ver a abelha-robô em ação:

Apesar de todos esses avanços no desenvolvimento do pequeno porém complexo dispositivo robótico, ainda há bastante a ser feito. O RoboBee ainda não é capaz de sair da água de volta para o ar após o mergulho e também não consegue gerar impulso vertical suficiente a partir da água sem que suas asas se danifiquem. Com isso em mente, a equipe de engenheiros já estabeleceu a nova etapa no desenvolvimento do protótipo.

Fonte: CNET

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome