Empreendedor do Vale do Silício é condenado à prisão por agredir namorada

Por Redação | em 15.08.2016 às 18h07

Gurbaksh Chahal

O empreendedor do Vale do Silício Gurbaksh Chahal foi condenado na sexta-feira (12) a um ano de prisão por agressão à sua namorada. Em um vídeo registrado por câmeras de segurança dentro de sua cobertura em San Francisco, nos Estados Unidos, ele aparece socando e chutando a mulher 117 vezes, além de tentar estrangulá-la diversas vezes. O caso aconteceu em 2014.

A vítima não falou durante o julgamento, mas em depoimento à polícia, disse que a discussão começou quando ela disse a Chahal que iria às autoridades para obter uma ordem de restrição contra ele, impedindo-o de se aproximar. Ele, inclusive, teria ameaçado denunciá-la às autoridades de imigração e essa foi uma das argumentações de seus advogados no tribunal, que afirmaram que a mulher estaria se relacionando com o executivo apenas para obter um visto de permanência nos Estados Unidos.

A condenação, entretanto, não veio em resposta ao caso de agressão em si, mas sim, por violação de uma condicional obtida em 2013. Há três anos, Chahal foi acusado pela primeira vez de violência doméstica por sua ex-esposa e chegou a ser condenado à prisão. Por meio de um acordo ele ficou livre e atendendo a termos como a participação em cursos de reabilitação, serviço comunitário e o não envolvimento em novos casos do tipo por três anos.

Apesar de as autoridades não terem levado em conta as alegações dos advogados sobre o caráter da vítima, a juíza Tracie Brown acatou ao pedido da defesa de que o vídeo de segurança não era admissível no julgamento, por ter sido obtido de forma ilegal pelos policiais. Sendo assim, Chahal admitiu culpa em duas acusações de agressão, apenas, o que garantiu que ele, mesmo condenado à prisão, pudesse deixar o julgamento ainda livre, enquanto aguarda o resultado de um recurso que vai decidir definitivamente sobre sua sentença.

Antes de ser condenado, em entrevistas, Chahal minimizou a seriedade do caso, afirmando ter apenas “perdido a cabeça” durante uma discussão e que a condução da situação pelas autoridades não refletia o efeito que o relacionamento estava tendo sobre ele. O executivo nega ter agredido a namorada 117 vezes e comparou a fiança de US$ 500 que pagou na época da denúncia a uma multa de trânsito.

Além dos casos de violência doméstica, Chahal também responde a um processo de assédio moral, discriminação e assédio por funcionárias da Gravity4, uma das empresas das quais foi CEO. Nos processos, movidos separadamente, ele é acusado de dar tratamento preferencial a funcionários do sexo masculino e de ameaçar e xingar uma colaboradora de origem kuwaitiana, chamando-a de terrorista.

O empreendedor fez sua fortuna no ramo da publicidade online e análise de usuários, tendo fundado três empresas do segmento – uma delas, a BlueLithium, foi adquirida pelo Yahoo em 2007 por US$ 300 milhões. Ele deixou a direção da Gravity4 em julho devido às acusações de violência contra a mulher, passando o posto para sua irmã, Kamal Kaur, em um movimento que, na época, foi criticado por soar como uma forma de acalmar os ânimos do mercado e da imprensa em relação à possível condenação.

Fonte: The Guardian

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome