Assista ao vivo a chegada da sonda Juno à órbita de Júpiter

Por Redação | em 04.07.2016 às 09h05 - atualizado em 04.07.2016 às 18h42

Juno

A NASA está realmente tendo avanços incríveis em relação às pesquisas de nossos planetas vizinhos. Após mandar sondas para estudar o solo de Marte e Plutão, agora estamos prestes a chegar a Júpiter, o gigante do Sistema Solar. Após cinco anos viajando pelo espaço, a aeronave Juno deve chegar à órbita do planeta nesta segunda-feira (4) e a agência espacial norte-americana vai acompanhar ansiosa o avanço da missão. E você pode fazer o mesmo.

Como de costume, o órgão vai transmitir todo o processo em seu site oficial por meio da chamada NASA TV. A entrada de Juno em Júpiter está prevista para acontecer às 0h18, mas a transmissão começa um pouco antes. A partir das 23h30 (horário de Brasília), o vídeo entra ao vivo e a agência trará engenheiros e outros especialistas para comentar um pouco sobre a entrada da nave não-tripulada na atmosfera jupiteriana, assim como a importância desse feito para os estudos astronômicos.

Por que é importante?

Se já exploramos os terrenos de Marte e Plutão, por que é tão importante agora chegar a Júpiter? Essa é uma pergunta curiosa, mas bastante comum. O principal ponto está nas diferenças existente entre esses planetas, seja na sua geografia quanto na composição de sua atmosfera. Ao obter dados de locais tão distantes em nossa galáxia, a NASA fica cada vez mais perto de entender suas diferenças e particularidades.

Missão Juno a Júpiter

Só que, no caso de Júpiter, há um tempero a mais nessa mistura: a dificuldade de fazer com que Juno chegue intacta ao seu objetivo. Como aponta o site Business Insider, essa é uma missão em que só há uma única tentativa. Ou a chegada é um sucesso ou teremos de esperar mais alguns anos para conseguir desenvolver e enviar outra nave para lá — além de gastar mais alguns bilhões de dólares. E a maior dificuldade está no campo gravitacional gerado pelo planeta, que deve atrair a nave a uma velocidade absurda. Estima-se que ela deva alcançar algo próximo dos 265,5 mil quilômetros por hora, o suficiente para dar a volta na Terra em nove minutos.

Para que tudo seja um sucesso, a nave precisa ativar seus freios para impedir que uma colisão transforme os últimos anos de trabalho dos cientistas em um monte de sucata na superfície jupiteriana. Assim, ela vai usar seu motor durante 35 minutos para reduzir sua velocidade (que corresponderá a algo próximo de 215 vezes a velocidade do som), gastando quase oito toneladas de combustível no processo.

Se tudo der certo, Juno passará a orbitar ao redor de Júpiter e ficará pelos próximos 18 meses capturando imagens de sua superfície, permitindo que cientistas possam estudar com mais detalhes e clareza os efeitos e a importância de seus campos gravitacionais e magnéticos. E o que pode ser tirado disso é algo que só vamos saber no futuro. Ainda assim, acompanhar todo esse processo é algo que vale a pena nem que seja a mérito de curiosidade. Afinal, trata-se de ir aonde nenhum humano jamais esteve — ao menos por enquanto.

Via: NASA TV, Business Insider

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome