Operação da Fazenda investiga sonegação de impostos em games

Por Redação | em 08.06.2017 às 13h39 - atualizado em 08.06.2017 às 14h15

Controle Xbox

A Secretaria da Fazenda, com o apoio do Ministério Público e da Polícia Civil, realiza nesta quinta-feira (8) uma grande operação para investigar um esquema de sonegação de impostos em video games. 40 empresas são suspeitas, entre elas, a B2W, que opera alguns dos maiores e-commerces do Brasil, como Submarino, Americanas e Shoptime.

De acordo com os dados das autoridades, 40 empresas são suspeitas de participação em um esquema que movimentou mais de R$ 800 milhões em vendas, sendo R$ 250 milhões em impostos sonegados. A operação “Game Over” apura a participação de empresas que distribuem e vendem eletrônicos no Brasil.

O sistema funciona a partir de empresas de fachada, com laranjas que emitiam notas fiscais e simulavam o recolhimento de ICMS por meio de um regime de substituição tributária. As distribuidoras, então, repassavam os produtos para as redes varejistas, que as vendiam aos consumidores por meio das plataformas online ou lojas físicas, passando a impressão de se tratarem de produtos oficiais.

Como parte da operação, cujas investigações estão acontecendo há cerca de um ano, serão cumpridos 14 mandados de busca e apreensão na capital paulista e região metropolitana, além de 12 ordens de fiscalização. 100 agentes fiscais e 70 policiais civis participam da “Game Over”, que deve apreender livros, documentos e outros arquivos que possam servir como provas da fraude e desarticular o esquema de sonegação.

Fontes: G1, Jovem Pan Notícias

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome