Em um dia, jogadores descobrem mais de 10 milhões de espécies em No Man's Sky

Por Redação | em 10.08.2016 às 13h51

No Man's Sky

Lançado na última terça-feira (9), No Man's Sky começa a ganhar algumas surpresas. O jogo, desenvolvido pelo estúdio independente Hello Games, tem como principal proposta explorar um gigantesco universo gerado processualmente – ou seja, criado em tempo real. Isso garante uma experiência quase única para cada pessoa. E a imensidão desse ambiente é tanta que, em apenas um dia, os jogadores já descobriram milhões de novas espécies.

Em sua conta pessoal no Twitter, o desenvolvedor e fundador da Hello Games, Sean Murray, comentou que não esperava um tráfego tão grande de usuários. E que, mesmo que algumas funções online não estejam disponíveis no momento, eles encontraram mais de 10 milhões de tipos distintos de alienígenas. Para efeito de comparação, isso é maior do que todas as 8,7 milhões de espécies nativas catalogadas no nosso planeta Terra, das quais 6,5 milhões são terrestres e 2,2 milhões aquáticas, segundo um relatório de 2011.

Embora pareça um número bastante exagerado, o jogo ainda tem centenas de locais para serem visitados. Consequentemente, cada um deles possui fauna e flora diferentes de outros planetas, o que significa que a biodiversidade registrada no game deve aumentar ao longo das próximas semanas. As criaturas lembram alguns animais do mundo real, mas outros parecem uma mistura de várias espécies exóticas, além da semelhança com os dinossauros.

Na mesma leva de tweets, Murray explicou um fato curioso registrado ontem, quando dois jogadores conseguiram se encontrar no mesmo planeta em No Man's Sky. Por conta desse universo gerado de forma processual por meio de um algoritmo baseado em um número limitado de parâmetros, seria tecnicamente impossível duas pessoas estarem em um mesmo local. Apesar de estarem no mesmo universo, os gamers não podem se ver ou interagir entre si – de novo, por causa desse sistema processual, que cria uma experiência única e exclusiva para cada pessoa.

No entanto, Murray explicou que os jogadores podem trocar "Easter Eggs", deixando pistas de que estiveram em um determinado planeta para que outros usuários possam vê-las. No caso dos streamers desta terça, o que descobriu o planeta conseguiu nomear novas espécies, enquanto o outro jogador, que também estava lá ao mesmo tempo, pode acompanhar em tempo real essas mudanças. Além disso, Murray fez questão de lembrar que existem algumas funções online, mas que um modo multiplayer está descartado, pelo menos por enquanto.

Em todo o caso, No Man's Sky tem se mostrado um projeto ambicioso e promissor. Se o céu é o limite, certamente ele nunca será atingido, já que o título possui mais de 18 quintilhões de planetas para serem explorados.

Fonte: Sean Murray (Twitter) via The Verge

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome