Apple se opõe à lei que pode dar o "direito de consertar" seu próprio smartphone

Por Redação | em 15.02.2017 às 14h49

Smartphone quebrado

O Estado do Nebraska é o mais próximo de aprovar uma nova lei que tem sido discutida em diferentes Estados norte-americanos para dar aos usuários de smartphones "o direito de consertar" seus aparelhos por si próprios ou em qualquer loja, desobrigando as pessoas a recorrerem apenas às fabricantes dos celulares. A legislação forçaria ainda as empresas a fornecer manuais de instruções e componentes para varejistas e oficinas de reparo terceirizadas.

É claro que a novidade não foi muito bem aceita pela indústria. A Apple, por exemplo, junto com a operadora AT&T, estaria disposta a apelar para o "perigo" que uma lei assim pode oferecer, uma vez que os consumidores podem danificar seus produtos e um reparo malfeito tem potencial para estragar a bateria do smartphone, algo que causa riscos de explosão.

Por outro lado, os defensores da implementação da lei argumentam que o monopólio sobre o reparo dos smartphone dá às fabricantes a chance de cobrar o que quiserem. Muitas marcas, segundo eles, criam barreiras propositais para dificultar o processo de reparo, além de restringir o acesso a informações e aprendizado de como consertar os aparelhos.

O Nebraska vai ter uma audiência para a nova lei no dia 9 de março, enquanto outros estados como New York, Illinois e Minnesota ainda estão nas fases inicias do debate. Dependendo do resultado no primeiro estado, a lei pode se espalhar pelos EUA e, consequentemente, para outros países do mundo.

Fonte: Motherboard

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome