Novo sistema de propulsão pode levar foguetes a Marte em apenas 3 dias

Por Redação | em 27.09.2016 às 19h17

foguete

Estamos em uma era onde o início do desbravamento de outros planetas marca os planos de grandes astronautas terrestres. Já chegamos a Marte, estamos descobrindo indícios de água em Júpiter e enviamos sondas para as mais profundas entranhas do Sistema Solar. No entanto, em meio a tanta avidez por novas descobertas, existe uma verdadeira pedra no sapato dos exploradores espaciais: a velocidade com que as naves de deslocam pelo espaço. 

No que depender de uma equipe de cientistas da Nasa, esse problema vai durar pouco. Os pesquisadores conseguiram gerar propulsão de partículas pequenas a velocidades que beiram a da luz — porém, em laboratório. A coisa muda de figura quando se trata de espaçonaves, foguetes e sondas espaciais fora da atmosfera terrestre. Diante desse desafio, Philip Lubin, cientista da Agência Espacial, iniciou o desenvolvimento de um novo sistema capaz de levar naves terrestres a Marte em apenas 3 dias.

A ideia parte do mesmo princípio dos bons e velhos barcos a vela, porém, com uma boa dose de modernidade, utilizando raios laser no lugar de vento e uma espécie de painel como vela. O sistema, chamado de propulsão fotônica, utiliza o momento de fótons oriundos do laser para conseguir levantar os veículos espaciais em direção ao espaço.  

O vídeo abaixo (em inglês, com legendas disponíveis) explica a teoria: 

Os tradicionais sistemas de propulsão espacial, usados atualmente, contam com um impulso que vem da queima do combustível do foguete, mas que tem sua eficiência bastante reduzida devido ao peso do veículo, que fica exatamente em cima da fonte de energia de propulsão. A nova técnica permite utilizar radiação eletromagnética — ou seja, sem peso algum — como fonte de impulso para grandes objetos, tornando-a, teoricamente, muito mais vantajosa para os exploradores espaciais.

Vale lembrar que este sistema ainda precisa sair do laboratório, em uma etapa mais específica de testes. Isso, inclusive, demanda muito tempo, dedicação e recursos, já que os equipamentos utilizados na pesquisa são extremamente caros. Segundo os cálculos de Lubin, o sistema de propulsão fotônica pode carregar uma nave de 100 Kg até marte em até 3 dias, com uma velocidade que só aumenta com o passar do tempo de viagem.

Via Futurism

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome