Cientistas dizem que adaga de Tutancâmon foi feita com ferro extraterrestre

Por Redação | em 02.06.2016 às 23h01

Adaga Tutancâmon

Quem nunca ouviu falar sobre os mistérios do faraó Tutancâmon? Mesmo mais de 3,3 mil anos após a sua morte, os cientistas continuam a encontrar surpresas em seu túmulo. A mais recente novidade se refere a uma adaga feita de material extraterrestre. É isso mesmo! De acordo com a análise feita pelos pesquisadores, a lâmina apresenta 10% de níquel e 0,58% de cobalto, composição que mostra sua origem meteórica.

A descoberta foi feita no Museu Egípcio, no Cairo, por pesquisadores italianos e egípcios, que utlizaram uma técnica não invasiva de espectrometria por fluorescência de raios X para determinar com precisão os materiais presentes no elemento. De acordo com as informações divulgadas, a adaga sempre intrigou os arqueólogos, já que o uso de ferro no Antigo Egito não era comum.

O punhal foi descoberto em 1925, e o grande estranhamento se deveu ao fato de que mesmo depois de milhares de anos seu aspecto continuava completamente homogêneo, sem qualquer sinal de ferrugem. Décadas após a descoberta, os investigadores começaram a levantar a hipótese de que a adaga pudesse ter origem espacial, o que foi confirmado nesta quinta-feira (2).

No artigo publicado, os cientistas afirmaram que "o Antigo Egito atribuía um alto valor ao ferro dos meteoritos para a produção de objetos ornamentais ou cerimoniais de grande requinte, até ao século 14 a.C", o que mostra claramente o já conhecido valor de Tutancâmon na sociedade egípcia da época. 

Via Diário de Notícias, BBC Mundo

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome