CPBR10: Os primeiros humanos imortais já estão entre nós, afirma biomédico

Por Rafael Romer RSS | em 01.02.2017 às 15h17

Se você acredita que a imortalidade ainda soa como coisa de livro de fantasia ou ficção científica, já pode começar a rever seus conceitos. Isso porque para o gerontologista e biomédico Aubrey de Grey, os primeiros seres humanos imortais já estão vivos e andando entre nós.

"Muitas das pessoas que já estão vivas hoje nunca serão biologicamente velhas", comentou durante sua palestra na Campus Party Brasil, nesta quarta-feira (02).

De Grey atua hoje como diretor científico (CSO) da SENS Research Fountation, uma ONG baseada na Califórnia responsável pelo financiamento de pesquisas que buscam retardar os efeitos da velhice.

Na sua avaliação, a ideia de que pessoas inevitavelmente evelhecerão já não pode mais ser encarada como algo natural, mas sim como uma doença – que também pode ser gerenciada ou curada com ajuda de medicamentos.

"A maior parte das pessoas querem fazer as pazes [com a velhice] e esquecer que essa coisa terrível vai acontecer com elas", opinou. "Eu não acredito nisso".

Para Aubrey de Grey, remédios que retardarão envelhecimento podem surgir nos próximos 20 ou 30 anos (foto: Murilo Idú/Canaltech)

Parte da teoria vem da ideia de se enxergar o corpo humano como uma máquina como qualquer outra – por exemplo, um carro, como comparou De Grey durante sua apresentação.

Assim como um veículo recém-saído da fábrica, o corpo humano também tem um desgaste natural causado pelo tempo de uso, que é uma mistura de inúmeros "pequenos danos" que, a longo prazo, se acumulam no corpo e causam a velhice – ou, no caso carro do carro, o faz deixar de funcionar. "O corpo humano é uma máquina e o efeito colateral da operação dessa máquina é a criação dos danos", comenta.

Para encarar o problema, o pesquisador propões um processo contínuo de "manutenção" do corpo humano. Assim como levamos um carro à oficina sempre que um pequeno problema aparece, a ideia é fazer pequenos reparos incrementais ao ser humano ao longo de toda a vida, com remédios que mitiguem os efeitos dos "danos" trazidos pelo tempo e posterguem a velhice biológica.

Mas o que exatamente esses remédios farão? Bem, segundo De Grey, o objetivo desses medicamentos é atacar cada um dos sete elementos que causam a velhice: a perda celular; super divisão celular; células resistentes à morte; mutações mitocondriais; toxinas intra e extra-celulares; e o endurecimento da matriz celular.

Esse tipo de remédio, é claro, ainda não está entre nós, mas pode não demorar tanto para começar a surgir – ainda que considere qualquer estimativa uma "especulação".

"Nós temos uma chance de 50% de desenvolver esses remédios nos próximos 20 ou 30 anos", afirmou ao Canaltech. "Eles não serão a solução completa, mas vão nos dar mais tempo para desenvolver melhores remédios que nos darão ainda mais tempo. E assim por diante".

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome