Conheça o pior jogador de Overwatch do mundo

Por Redação | em 26.08.2016 às 18h02

Overwatch

Algo comum nos jogos online, os rankings que definem os melhores jogadores de um game costumam ter o foco sempre no topo. É normal que qualquer jogador pense em ocupar as primeiras posições da tabela, afinal ali ficam os melhores. Contudo, Overwatch, o game de tiro em primeira pessoa da Blizzard, apresentou um novo advento. Não que o título premie os piores, mas, nele, um jogador trava uma verdadeira batalha para ocupar o posto de pior jogador de Overwatch do mundo.

Dale Brown, conhecido no game como Bacontotem, diz que sempre foi ruim em FPS e resolveu levar isto a sério desta vez: ser ruim apenas não bastaria, ele queria ser o pior. Para isso, ele empreende uma cruzada durante a qual atrapalha outros jogadores de sua equipe e se aproveita de um ranking desequilibrado da Blizzard.

Em busca do fundo do poço

“Depois de conseguir meus pontos de ranking, ocorreu-me o seguinte um dia: Uma pessoa de habilidade mediana provavelmente vai tentar exibir isso, transmitir pelo Twitch e todo mundo vai seguir os jogadores de alto nível porque simplesmente há uma audiência natural para eles”, comentou em entrevista ao Kotaku. “Eu fiquei curioso: o que está acontecendo lá embaixo? Eu estou sentado aqui pensando ‘Eu não sou ótimo nestes FSP, vamos ver o quão ruim isso fica.’"

Não foi muito difícil começar a cair. Graças à falta de equilíbrio do sistema da Blizzard, subir é demorado, mas cair é bem rápido. Com algumas derrotas nas costas, ele logo começou a descer vertiginosamente no ranking de Overwatch, que define a qualificação dos jogadores com níveis de desempenho que vão de 1 a 100 — e a maioria dos gamers estão na metade disso, entre 40 e 50.

Overwatch Você já pensou ser o pior jogador de Overwatch? (Foto: Divulgação/Blizzard)

Assim, em sua jornada durante a primeira temporada competitiva de Overwatch, a função básica de Bacontotem era perder. Só que vale lembrar que este é um game multiplayer no qual os duelos acontecem entre equipes, ou seja, ele não estava jogando sozinho contra outros jogadores. Com isso, junto com as derrotas, Brown também colecionou alguns inimigos dentro do jogo.

“Em meio aos [jogadores de nível] 30 eu encontre as pessoais mais raivosas”, comentou. “Em algum lugar acima dos 20, ali estão os mais nervosos do planeta. Eles pensam que poderiam estar fazendo melhor e eles realmente não são bons o suficiente, ou então apenas são pessoas pressas em sequências bem ruins.”

Tudo piora

Descendo ainda mais, agora para baixo do nível 20, Brown e seu personagem Hanzo encontraram ainda mais inimigos. Segundo relata o jogador, ali estavam pessoas que aparentemente não conseguiam progredir no jogo, mas ainda assim creditavam ao personagem de Bacontotem à sua sequência de insucessos.

“Eles estão no fundo do poço e se recusam a aceitar isso”, disse o game. “Eu comecei a ver coisas como partidas onde Pharahs não sabiam voar, Junkrats que atiravam suas granadas neles mesmos e Meis que não sabia disparar. Cada Widowmaker me fez sentir o melhor sniper do mundo.”

Bem, chegando neste ponto, já deu para perceber que o fraco desempenho de Brown já não estava mais sendo o suficiente para ele tomar uma lavada dos rivais — seus companheiros de equipe jogando sério eram bem piores do que ele. Assim, ele iniciou um processo para reforçar o seu propósito de se tornar o pior jogador de Overwatch do mundo.

“Eu estava em um ponto no qual comecei a me autossabotar fortemente”, afirma. “Eu jogava no PC em uma resolução baixa, a 30 quadros por segundo, e com um controle de console com as configurações alteradas para o mínimo absoluto a fim de que o meu tempo de resposta pudesse ser horrível e superbaixo.”

Enfim, o fundo do poço

Meses após iniciar a sua jornada, Brown finalmente conseguiu levar seu personagem ao nível 1 — e, pasme você, ele pôde descer ainda mais. Aparentemente, a Blizzard não havia pensado muito que algum jogador de fato pudesse ser tão ruim a ponto de alcançar este patamar tão baixo.

E lá embaixo tudo é bem complicado. Por muitas vezes, Brown era colocado em partidas contra jogadores muito mais fortes, afinal há relativamente poucos gamers de nível tão baixo — vale lembrar que o game organiza as partidas por ranking a fim de tornar os duelos mais equilibrados. Além disso, muita gente acusou Brown de ser um “booster”, ou seja, um perfil que permanece com nível baixo a fim de favorecer seus amigos como um “sparring”.

A Blizzard sabe e novidades da segunda temporada

Outra revelação interessante feita por Brown é que ele mesmo avisou a Blizzard sobre a sua jornada. Quando alcançou o nível 1, ele enviou um print da tela para a companhia pelo Twitter e recebeu inúmeras interações de outros jogadores, com 80% delas pedindo pelo seu banimento. “Eu estou tranquilo, a maioria das pessoas não sacam a piada disso tudo. Se você é colocado em uma partida comigo, é você que fez algo errado.”

A segunda temporada do modo competitivo de Overwatch, que começa em setembro deste ano, sofreu mudanças significativas por parte da Blizzard. Agora, o ranking deixa de organizar jogadores do nível 1 ao 100 para fazer isso do nível 1 ao 5.000. Além disso, a organização de partidas está mais rigorosa e é praticamente impossível jogar com pessoas muito mais fortes ou fracas do que você. De qualquer forma, Brown não pretende deixar o fundo do poço.

“Eu vou fazer pelo menos a segunda temporada, e posso ou não fazer a terceira”, comentou. 

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome