Taxistas de Nova Iorque processam cidade por ter facilitado expansão do Uber

Por Redação | em 18.11.2015 às 09h08

Uber

A briga entre taxistas e Uber não é exclusividade do Brasil e segue dando dores de cabeça em cidades de diversos países, incluindo Nova Iorque. Nem mesmo a “capital do mundo” escapou da polêmica e agora os taxistas locais estão processando a Prefeitura e a comissão responsável por regulamentar o transporte urbano por terem permitido a expansão do Uber e, consequentemente, arruinado os seus negócios. Em outras palavras, trata-se da mesma briga que a gente já conhece, mas levada para a justiça e com um alvo diferente.

O processo foi protocolado na Corte Federal de Manthattan nesta semana e acusa a cidade e os órgãos responsáveis de terem facilitado o caminho de serviços ao estilo do Uber ao oferecer benefícios e outros tipos de incentivos que outros motoristas profissionais não possuem. Isso fez com que o polêmico aplicativo tomasse as ruas de Nova Iorque, prejudicando toda uma categoria. Apenas para ter uma ideia, os taxistas alegam que perderam cerca de 3,83 milhões de corridas somente entre os meses de abril e junho deste ano, o que resulta em uma queda significativa também em seus ganhos. Em contrapartida, o Uber fez 3,82 milhões de viagens na cidade no mesmo período. Coincidência?

Mais do que isso, o próprio valor da licença para dirigir um dos característicos carros amarelos em Nova Iorque também foi afetado pela concorrência. Os profissionais alegam no processo que, por conta de todas as vantagens e facilidades que a cidade ofereceu ao Uber, o valor dessa taxa de regulamentação caiu em quase 40%. Sempre vendidas aos pares, ela chegou a custar US$ 1,3 milhão em abril de 2014 e, um ano depois e já com a chegada do aplicativo, esse valor despencou para US$ 900 mil. Com essa desvalorização, ninguém mais quer se aventurar em ser taxista por lá.

uber

A situação é tão delicada que, além de motoristas e associações de táxi, até mesmo instituições financeiras se juntaram ao grupo dos queixosos e deram coro ao processo. Financiadoras, como a Melrose, Progressive e a Lomto Federal emprestaram mais de US$ 2,4 bilhões para a compra de 4,6 mil licenças e agora veem esse dinheiro ir embora por conta dessa desvalorização. Mais do que isso, algumas dessas cooperativas e associações de taxistas estão fechando as portas por conta disso tudo. Apenas em julho, 22 empresas entraram com pedido de falência e alegaram que o Uber foi o principal responsável por isso.

Pode ter certeza que ações do tipo não vão se limitar apenas à Nova Iorque. Dependendo do que acontecer na cidade norte-americana, taxistas de outros locais do mundo que se sentirem afetados pelo serviço concorrente podem se unir para entrar com processos semelhantes, o que pode realmente trazer resultados em sua causa. Afinal, se a luta direta contra o Uber não fez efeito, ir direto no responsável por regulamentar tudo isso pode ser o caminho para frear essa disputa até então injusta. Até o momento, a companhia não se pronunciou sobre o assunto.

Via: The Verge, The Street

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome