Snapchat mostrará propagandas entre suas histórias

Por Redação | em 14.06.2016 às 09h41 - atualizado em 14.06.2016 às 13h36

Snapchat

O Snapchat anunciou uma grande atualização no seu sistema de propagandas com várias novas funções que indicam que a rede social tem grandes planos pela frente. As novas ferramentas envolvem mais destaque de marcas, flexibilidade de compra de espaço, oportunidades de retorno de investimento e monitoramento de ações. Para o usuário, no entanto, isso vai significar um aumento considerável nas propagandas e pouca opção de escolha.

Será difícil escapar de propagandas com a nova função Snap Ads Entre Histórias, que vai inserir comerciais quando se alterna histórias por meio do auto-advance, a ferramenta que passa da história de um amigo para outro quando se desliza para o lado. No entanto, os comerciais não aparecerão no meio de uma história, tampouco em todas as vezes que alternar entre história.

Com os Snap Ads Expansíveis, os usuários poderão acessar diretamente um link que esteja sendo divulgado, como instalar um app ao deslizar para o lado durante o comercial, link para um site ou um artigo publicitário formatado para a rede social.

Para os que pretendem divulgar na rede social, o Snapchat vai permitir que se use programação de interface para construir grandes campanhas em vez de controlar pequenas ações. Será criado um diretório voltado para desenvolvedores, com ferramentas de suporte para as compras de espaço customizadas. Essa funcionalidade incluirá filtros de idade, gênero, localização, aparelho e sistema operacional, operadora e afinidade de conteúdo. Além de ferramentas específicas, será criado um segundo diretório voltado para networking, aproximando os interessados em anunciar que não têm expertise com agências de marketing digital. Novas funcionalidades de monitoramento e medição também serão inseridas. 

Com um público de 150 milhões de pessoas por dia, o Snapchat se mostra preocupado com os usuários. Todas as propagandas, incluindo as novas ferramentas, são revisadas para garantir uma boa experiência ao público, tanto no conteúdo quanto na frequência.

Um estudo conduzido pela agência MediaScience apontou que o engajamento dos usuários em relação aos Snap Ads é cinco vezes maios do que a média. Os dados mostram que eles recebem duas vezes mais atenção do que o Facebook, 1,5 e 1,3 vez mais em relação ao Instagram e Youtube, respectivamente, além de aumentar em duas vezes o índice de conversão de compras.

Até aí, os ads do Snapchat soam tão comuns como os das outras redes. São outras funcionalidades que impulsionaram o Snapchat para um patamar totalmente novo no que diz respeito à inovação de marketing. Com a função de reconhecimento facial e as lentes de selfies animadas, o Snapchat criou uma poderosa ferramenta de marketing. Depois de introduzir distorções engraçadas para fotos ou máscaras de bichinhos e stickers de localização de cidades, a rede social inseriu animações patrocinadas, como a ação de lançamento de CD da Ariana Grande e filtros de filmes na semana de estreia, como os de Invocação do Mal 2

Embora a interação pareça pequena, alguns segundos para registrar um vídeo ou foto com um selo ou filtros "cool", isso gera uma interação direta com a marca bem diferente de só deslizar pela tela e passar o olho por um banner, causando engajamento em níveis gigantescos. Uma ação da Taco Bell, que transformou o rosto das pessoas em um taco, atingiu um índice de 224 milhões de visualizações. Já a campanha do Gatorade durante o Super Bowl alcançou 165 milhões de usuários. 

A resposta do público às propagandas do Snapchat é bem diferente do comum, para não dizer no extremo oposto. Enquanto é frequente em outras redes o usuário se incomodar em ter de esperar por um vídeo ou fechar a propaganda o quanto antes, com o Snapchat há uma satisfação dos usuários com os conteúdos interativos de divulgação.

É no mínimo curioso pensar que o app foi um dos poucos que cresceram e resistiram à tentadora oferta de milhões de empresas como Facebook e Google. Na época, o Snapchat nem contava com tantas ferramentas de marketing, mas talvez já tinham algo em mente. Com um engajamento tão instantâneo, popular, profundo e que se estende a mais de 150 milhões de pessoas no mundo, parece que o Facebook, o Google, a TV e outras mídias se depararam com um concorrente de peso que veio como surpresa para muitos. Com as novas implementações, o Fantasma pretende passar dos US$ 59 milhões de 2015 para US$ 250-350 milhões em 2016. Definitivamente, eles não pensam pequeno.

Via TechCrunch

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome