Aplicativos de mensagens tornam-se mais populares do que redes sociais

Por Redação | em 30.03.2016 às 10h20

Smartphones

Os apps mensageiros instantâneos já são mais usados do que os de redes sociais nos smartphones. Essa é a principal revelação de um estudo conduzido pelo BI Intelligence, que também apontou que as pessoas não usam mais esses aplicativos apenas para conversar com os amigos, mas também para se conectarem a marcas, assistirem conteúdos e interagirem com algo que consideram interessante. O que antes era apenas um serviço de troca de mensagens, imagens, vídeos e GIFs evoluiu e se tornou um ecossistema repleto de opções para os usuários.

Aplicativos como Messenger, WhatsApp, Viber, entre outros possuem características distintas que fazem com que suas audiências sejam particularmente atraentes para empresas e comerciantes. O tamanho reduzido dos aplicativos, a retenção e taxas de uso, além dos dados demográficos dos usuários, chamam a atenção de qualquer empresa interessada em investir em uma plataforma digital. Os apps de bate-papo ganharam tanta importância que a base de usuários combinada dos quatro principais aplicativos de mensagens é maior do que a base de usuários combinada das quatro principais redes sociais da atualidade.

Aplicativos de mensagens e redes sociais

Outro dado interessante revelado pelo estudo confirma que o barateamento dos smartphones e dos planos de dado em todo o mundo também colaboram para que a popularidade dos mensageiros cresça cada vez mais. Além disso, segundo o relatório, a primeira etapa dos aplicativos de mensagens foi focada em crescimento. Na próxima fase, as empresas irão se concentrar em construir serviços de monetização para sua enorme base de usuários. Aplicativos asiáticos como o WeChat, KakaoTalk e Line têm tomado a iniciativa em encontrar maneiras inovadoras de manter seus usuários envolvidos, enquanto empresas ocidentais também estão construindo estratégias bem-sucedidas para monetizar seus serviços.

O relatório ainda destaca que as empresas de mídia e comerciantes ainda estão investindo mais tempo e recursos em redes sociais como Facebook e Twitter do que em serviços de mensagens. No entanto, isso vai mudar à medida que os aplicativos de mensagens começarem a fornecer meios de conectar marcas, editores e anunciantes com os usuários.

Via Business Insider

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome