Fornecedora da Apple é acusada de oferecer más condições de trabalho em fábricas

Por Redação | em 28.09.2015 às 12h46

Fornecedores Apple (sem marca d'água)

Os mais recentes smartphones da Apple, o iPhone 6s e iPhone 6s Plus, chegaram às lojas na última sexta-feira (25), junto com uma polêmica. De acordo com um relatório de um grupo de defesa dos direitos do consumidor, um dos fornecedores chineses da companhia explora os seus trabalhadores nas fábricas.

O grupo em questão é o Estudantes e Estudiosos contra o Mau Comportamento, conhecido também como Sacom (sigla em inglês), e fica localizado em Hong Kong, na República da China. O relatório acusa a Lens Technology, responsável pela produção das telas sensíveis ao toque, de obrigar que os funcionários façam hora extra, de reter salários e ainda colocar a saúde dos trabalhadores em risco. Foram três meses de investigação feitas em três fábricas.

Zhou Qunfei, fundadora da empresa e ex-trabalhadora da indústria, se tornou a mulher mais rica da China depois da estreia da Lens Technology na bolsa Shenzhen, em março deste ano. 

O Sacom pediu que a Apple aplicasse medidas imediatas para corrigir as explorações. "Nós pedimos que a Apple Inc. cumpra sua responsabilidade corporativa de dar aos trabalhadores um local de trabalho com dignidade e respeito. Poeira, barulho, água poluída e substâncias químicas são problemas comuns na fábrica" diz o comunicado, que afirma que a gerência não busca saber se os trabalhadores estão protegidos ou não.

Ainda de acordo com as alegações, há funcionários trabalhando por um mês seguido sem nenhum dia de descanso, salários retidos por semanas e a empresa não estaria pagando o seguro social. As informações foram colhidas por trabalhadores disfarçados infiltrados nas fábricas e por entrevistas realizadas fora do local de trabalho.

Cerca de 10 manifestantes se concentraram em frente a uma das maiores lojas da Apple em Hong Kong na última sexta-feira. Eles carregavam telefones gigantes com os dizeres "Throw Away The Bad Apple", ou "Jogue fora a maçã podre". 

A Lens Technology negou as irregularidades apontadas, afirmando que o cumprimento de horas extras não é obrigatório e que limita a duas horas por dia, e que determina que os funcionários descansem pelo menos um dia na semana. 

A companhia também negou o não pagamento do seguro social e afirmou que inspeções regulares são realizadas nas fábricas. "A Lens Technology é uma empresa registrada e sempre cumpriu com as leis e regulações, além de seguir estritamente os padrões definidos por nossos clientes", afirma a fabricante.

Além da Apple, a Lens Technology também é fornecedora da Samsung e outras grandes empresas tecnológicas. Liang Pui-kwan, porta-voz da Sacom, diz que a companhia da Maçã não é o único alvo do grupo, mas é a mais rica e a que tem "maior habilidade para fazer a diferença e influenciar a indústria".

A Apple ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: Industry Week

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome