Vendas de PCs mostram pequena melhora no segundo trimestre de 2014

Por Redação | 25.09.2014 às 13:55
photo_camera Copyright: wavebreakmedia

Foto:Copyright: wavebreakmedia/Shutterstock

Os números da indústria de PCs continuam baixos, mas no segundo trimestre de 2014, apresentaram ligeira melhora. Apesar dos totais ainda serem negativos e a perspectiva indicar uma das maiores quedas já sofridas pela indústria, o segundo trimestre de 2014 viu a comercialização de 2,65 milhões de computadores, um número pouco maior que as 2,4 milhões de unidades registradas no período anterior.

Ainda assim, não é motivo para comemoração. As vendas entre abril e junho de 2014 representam queda de 26% em relação ao mesmo período do ano passado e mostram uma tendência de queda cada vez maior, que se reflete em todo o mundo. A ideia é que os usuários médios estão preferindo adquirir celulares ou tablets em vez de computadores, investindo na maior mobilidade e nas tecnologias mobile disponíveis.

Pensando por esse lado, faz sentido o domínio dos notebooks sobre esse mercado, com essa categoria de equipamentos representando 62% das vendas totais. Os desktops foram responsáveis pelos 38% restantes e também vêm apresentando queda cada vez maior, com os interessados preferindo as soluções integradas dos laptops, enquanto PCs tradicionais acabam restritos aos interesses específicos, como segmentos corporativos ou gamers, por exemplo.

Falando nas empresas, foi esse o nicho que apresentou maior queda nas vendas, na casa dos 30%. O mercado de consumo, porém, não vem muito atrás, mostrando uma queda de 26% no interesse pela compra de computadores.

A IDC atribui esse movimento no mercado corporativo ao fato de estarmos em um ano de eleições e Copa do Mundo. Com menos dias úteis e incertezas quanto ao futuro, empresas principalmente de médio e grande porte acabam freando os investimentos, aguardando para ver o que vai acontecer. Além disso, a proximidade das votações interrompe a abertura de novas licitações, o que acaba impactando as vendas de computadores para o setor público.

Para 2014, o IDC prevê uma queda de 24% no comércio de PCs, a maior já registrada por esse segmento no Brasil. Como já era de se esperar, o cenário contribuiu para números bastante negativos e a expectativa é de mais quedas ao longo do segundo semestre deste ano.