Intel afirma que notebooks de baixo custo com Android estão em produção

Por Redação | 26 de Abril de 2013 às 17h45
Tudo sobre

Intel

Recentemente, a Intel confirmou que os seus chipsets de baixo custo estarão presentes em uma nova série de notebooks com telas sensíveis ao toque de até US$ 200 (R$ 400) nos Estados Unidos. No entanto, a empresa não estava se referindo apenas aos computadores equipados com Windows, mas também aos com Android.

O vice-presidente executivo e diretor de produtos da Intel, David Perlmutter, afirmou em entrevista ao site CNET que os notebooks de baixo custo deverão rodar, predominantemente, o Android. O executivo afirmou que os PCs com Windows poderão também atingir essa marca de preço, mas tudo depende do valor que a Microsoft irá cobrar para licenciar o Windows 8. "Pode ser um preço ligeiramente mais elevado", concluiu.

Uma reportagem publicada recentemente pelo The Wall Street Journal indicava que a Microsoft poderia reduzir os custos de licenciamento do seu SO para notebooks de baixo custo e com telas touchscreen, o que, aliado aos chips baratos da Intel, poderia garantir o lançamento de notebooks mais acessíveis até o final deste ano. Mesmo com a redução, os notebooks com Android podem ser ainda mais baratos do que os com Windows, já que o Google não cobra taxa de licenciamento de sua plataforma.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Porém, para o Android ser empregado em notebooks, o Google ainda deverá realizar alguns ajustes em seu sistema. O Android, por exemplo, tem suporte para mouse externo, mas seus aplicativos não são otimizados para entradas trackpad, e o sistema também precisa de recursos mais voltados para desktop, como uma versão mais robusta do Google Drive e uma do Chrome, que suporte a abertura de várias janelas.

O Google também possui o seu próprio sistema operacional para computadores, o Chrome OS, que traz muito mais recursos e funcionalidades para o desktop do que o Android, e um modelo de Chromebook já chegou a ser vendido por US$ 200. A empresa também indicou anteriormente que o Android e o Chrome OS têm propostas diferentes e que cada um tem sua função, mas que suas experiências do usuário deverão apresentar elementos similares em um algum momento.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.