Find My Mac ajuda polícia a resolver um caso de homicídio

Por Redação | 03.12.2013 às 10:15

Em um caso que parece ter sido tirado de um livro de ficção policial, a ferramenta Find My Mac pode ter ajudado a polícia de Ann Arbor, em Michigan, a encontrar dois suspeitos de assassinato do estudante de medicina Paul DeWolf, da Universidade de Michigan.

O crime aconteceu em julho desse ano, quando Paul de Wolf foi assassinado com um tiro no pescoço depois de ter a sua casa invadida. Até algumas semanas atrás, a polícia não tinha muitas pistas de quem poderia ter cometido o crime. Mas recentemente, os investigadores descobriram que um Macbook foi roubado na mesma noite do assassinato de um dos vizinhos. Notavelmente, o notebook estava com a ferramenta Find My Mac ligada.

De acordo com o Detroit Free Pass, a detetive Katie Nucci disse em um depoimento que “um computador que pertencia a uma estudante sênior de medicina foi roubado de sua sala de casa entre as 22h30min e 00h30min dos dias 23 e 24 de julho. É o mesmo horário que a polícia acredita que DeWolf tenha sido assassinado na casa vizinha”.

A vítima do Macbook roubado enviou um pedido para que a Apple avisasse-a quando o notebook fosse conectado na Internet. De acordo com a matéria, no dia 3 de outubro a Apple alertou a antiga dona de que seu laptop tinha se conectado.

A partir do fato, as autoridades conseguiram localizar o notebook, que estava com um homem que o teria comprado na Craigslist por U$ 200. Através dos dados fornecidos pelo comprador, a polícia conseguiu rastrear quem teria vendido o Macbook roubado e chegaram a um homem de 20 anos chamado Joei Jordan. A investigação revelou que Jordan e seu primo Shaquille Jones estavam presentes quando o laptop roubado foi passado ao comprador.

No dia 22 de novembro, Jones e Jordan foram acusados do homicídio junto com outras acusações decorrentes da invasão da casa vizinha. Os detalhes de como a polícia ligou o roubo do laptop ao assassinato de Paul DeWolf não foram revelados, mas de acordo com o Detroit Free Pass, deverão surgir mais informações nas próximas semanas como “exames preliminares das provas” contra os dois.

Além disso, há outro suspeito sob custódia, mas as autoridades não revelaram a sua identidade.