Xerox está considerando compra da HP Inc.

Por Felipe Demartini | 06 de Novembro de 2019 às 12h38

A Xerox está considerando a compra da HP Inc., em um negócio que pode chegar a um valor de US$ 30 bilhões e uniria dois dos maiores nomes do mercado global de impressões. De acordo com os rumores publicados na imprensa internacional, a aquisição foi discutida em reunião do conselho diretor nesta terça (5), mas ainda estaria em fase de análise.

Seria uma fusão, no mínimo, curiosa, já que, com um valor de mercado de US$ 27 bilhões, a HP Inc. tem aproximadamente três vezes o tamanho da Xerox. Por outro lado, a ideia da empresa seria pagar o montante em dinheiro e ações para criar, justamente, um grande e ainda mais sólido nome de um setor que apresenta quedas cada vez maiores em faturamento.

Ajuda o fato de a Xerox estar prestes a receber US$ 2,3 bilhões da Fujifilm, com quem fez um acordo para venda de ações e investimentos em empresas incipientes e para encerrar um processo no valor de US$ 1 bilhão que estava em andamento. Nele, a empresa japonesa acusa o investidor Carl Icahn, que possui 10,6% da Xerox, de quebra de contrato ao forçar a troca de executivos e o descarte de um processo de fusão entre os dois nomes. Com o acerto, a nipônica permanece independente e atuando apenas como fornecedora.

Acima de tudo, um grande banco americano estaria no barco da união entre Xerox e HP Inc. A instituição não foi revelada, mas teria feito um compromisso por escrito em prol do financiamento de uma possível compra, caso ela se torne real. Os termos desse acordo e o valor envolvido nele, entretanto, não foram revelados pela fonte que abriu o negócio para a imprensa americana.

Seria, também, uma união dos negócios focados em segmentos diferentes. Enquanto a HP Inc. é a líder do mercado doméstico de impressão, além de uma das maiores fabricantes de computadores pessoais do Ocidente, a Xerox tem seus olhos voltados para o mercado corporativo. O grosso de seu faturamento atual é oriundo da venda de impressoras industriais e soluções de grande escala, bem como do aluguel e manutenção desses equipamentos.

A aquisição seria parte da estratégia atual da marca, que corta os próprios custos ao mesmo tempo em que busca agilizar seu funcionamento no mercado. O negócio pode até ser caro, mas a ideia é que a união geraria uma economia inicial de pelo menos US$ 2 bilhões, de acordo com analistas, o que, por si só, já a tornaria uma boa ideia em um momento de contenção e enxugamento que acompanha o do mercado de impressão como um todo.

Os esforços têm dado certo, com as ações da Xerox tendo aumento de 84% ao longo deste ano, enquanto os resultados financeiros também são positivos. Por outro lado, os papeis da HP acumulam uma baixa de 10% enquanto a empresa ainda luta para não apenas vender impressoras, mas também cartuchos e outros acessórios, de forma a criar uma demanda constante e um fluxo financeiro estável. A troca de CEOs e a expectativa da demissão de 16% da força de trabalho apenas deprimiram o mercado ainda mais.

A notícia da possível fusão, por outro lado, agradou. Bastou a publicação para que as ações da Xerox fechassem em alta de 4,9% nesta terça, enquanto os papeis da HP Inc. operam com valorização de 8,6% nas horas que antecedem a abertura do pregão de quarta (06), após fecharem o dia anterior também com números positivos, na casa dos 2,2%.

As empresas não se pronunciaram sobre um possível negócio, que parece estar, ainda, em suas etapas iniciais de discussão. As notícias boas e a reação positiva do mercado, então, podem servir como um incentivo para que a junção efetivamente aconteça, mas por enquanto, essa possibilidade não foi negada ou confirmada pelas envolvidas.

Fonte: The Wall Street Journal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.