Tim Westergren, cofundador do Pandora, pretende deixar companhia após 17 anos

Por Redação | 26 de Junho de 2017 às 11h22

O CEO e cofundador do Pandora, Tim Westergren, pretende se demitir da companhia em breve. A informação foi divulgada pelo site Recode nesta segunda-feira (26) após contato com fontes familiarizadas com os planos da empresa.

A Pandora ainda não teria definido uma pessoa para substituir o presidente executivo. Por isso, Westergren provavelmente permanecerá na liderança da companhia, fundada por ele e Jon Kraft há 17 anos, até que um novo CEO seja definido.

Westgren assumiu as rédeas da empresa em 2016, sucedendo Brian McAndrews como CEO da companhia. Antes disso, o cargo havia sido ocupado por diversos outros executivos.

No início deste mês, a Sirius XM, companhia de transmissão de rádio via satélite, afirmou que gostaria de investir US$ 480 milhões na Pandora em troca de uma participação de 19% nos lucros obtidos pela plataforma e de três cadeiras no conselho.

Situação delicada

Fundada em 2000, a Pandora foi uma das empresas pioneiras na transmissão de música por demanda e contava com uma base de 80 milhões de usuários ativos, sendo grande parte deles usuários da versão gratuita do serviço de rádio online mediante a reprodução de publicidades entre as músicas.

Desde então, a empresa voltou todos os seus esforços para manter e ampliar as receitas geradas pelos anúncios para manter seu serviço gratuito.

Com o surgimento do Spotify e iTunes, a empresa acabou perdendo espaço no mercado por não oferecer um serviço de assinatura sem anúncios, lançando este tipo de opção aos seus clientes somente no final do ano passado.

Ainda no ano passado, a Pandora registrou uma perda líquida de US$ 343 milhões. Além disso, documentos da SEC indicam que a plataforma perdeu 2,7 milhões de usuários em relação aos números apresentados em 2016.

Via: Business Insider, Recode

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!