SoundCloud pede investimento milionário para conseguir sobreviver

Por Redação | 10 de Agosto de 2017 às 16h23

O SoundCloud não vem andando muito bem das pernas, sendo que chegou a demitir 40% de seus funcionários recentemente por não conseguir mais mantê-los em sua folha de pagamento. Rumores chegaram a rodar a internet dizendo que a empresa somente teria recursos para manter a plataforma no ar até o final de setembro, e, mesmo que o CEO tenha negado a informação, agora, a empresa está pedindo que seus investidores apliquem US$ 169,5 milhões para que o negócio continue de pé.

Caso o SoundCloud não consiga essa bolada com seus investidores, o próprio CEO Alexander Ljung chegou a admitir que a empresa não conseguirá mais manter o serviço de músicas e podcasts funcionando, restando duas opções: ou vender a plataforma, ou fechá-la definitivamente.

Os problemas começaram a surgir com o crescimento do Spotify, ainda que o foco de ambos os serviços seja diferente. Enquanto o serviço de streaming oferece músicas de artistas dos mais variados perfis e gêneros, o SoundCloud se fez como uma plataforma bacana para que DJs e produtores independentes publicassem seus trabalhos por conta própria. Mas, mesmo assim, o SoundCloud acabou não sabendo explorar seu nicho com a maestria necessária, se preocupando em bater de frente com um concorrente emergente.

Depois de investimentos que se mostraram uma verdadeira furada, a moral da equipe do SoundCloud caiu ladeira abaixo, o serviço perdeu credibilidade com seus usuários, e a concorrência praticamente esmagou a plataforma, à medida em que os artistas começaram a preferir disponibilizar seus trabalhos em outros serviços.

Agora, resta aguardar para ver se a companhia conseguirá convencer os investidores de que é capaz de sair do buraco sozinha, ou se o SoundCloud acabará sendo vendido para gigantes que já teriam demonstrado interesse em comprar a plataforma.

Fonte: TechCrunch

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.