SoftBank compra parcela de 15% da Uber por US$ 7 bilhões

Por Redação | 19 de Janeiro de 2018 às 13h20

Após semanas de deliberações e rumores, a SoftBank finalmente se tornou a maior acionista individual da Uber. O anúncio da conclusão da negociação foi feito nesta sexta-feira (19), com a multinacional japonesa adquirindo, por US$ 7 bilhões, uma parcela de 15% das ações da empresa de transporte por aplicativos a partir da carteira de cotas de investidores e funcionários.

Conforme já havia sido antecipado, a transação foi feita com um desconto de 30%, de forma a tornar o negócio mais atrativo aos asiáticos. Enquanto a Uber tem uma avaliação de mercado estimada em US$ 68 bilhões, o negócio foi feito com base em um valor de US$ 48 bilhões. É menos dinheiro entrando, mas, em compensação, para a companhia, trata-se da oportunidade de trazer um dos principais nomes do mundo dos negócios para seu lado.

Essa união, entretanto, não veio sem alguns requisitos, prontamente atendidos pela Uber. No centro das exigências feitas pelo SoftBank está Travis Kalanick, o fundador e ex-CEO da empresa, que fica impedido de apontar integrantes para a diretoria da companhia sem aprovação majoritária de todos os outros ocupantes das cadeiras.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Como consequência disso, a Benchmark, outra grande investidora da Uber, concorda em abandonar o processo judicial que vinha movendo contra o ex-presidente da empresa justamente por conta de seu controle considerado exacerbado. Além disso, o conglomerado japonês passa a ter dois assentos exclusivos na diretoria, de um total de seis a serem abertos com a nova entrada de capital.

Além dos US$ 7 bilhões, a SoftBank também participa de uma rodada de investimentos na casa dos US$ 1,25 bilhão, feita ao lado de grandes investidores como Sequoia Capital e Dragoneer Investment Group. O valor equivale a um total de 2,5% das ações da empresa, estas sim adquiridas a partir da avaliação de mercado real da Uber, representando ainda mais dinheiro em caixa para a companhia.

Em breve comunicado oficial sobre a transação, a empresa de transportes disse que o novo aporte financeiro será utilizado em investimentos de tecnologia e expansão, de forma a levar seus serviços a mais pessoas e localidades ao redor do mundo. Além disso, a Uber cita o investimento como um fortalecimento de sua própria governança e uma demonstração de confiança nos rumos atuais do serviço.

A expectativa é de que a transação, como um todo, seja concluída ao final de janeiro. Além disso, a Uber prepara uma abertura de capital para o ano que vem, com a entrada da SoftBank pavimentando ainda mais o caminho para esse salto, além de garantir mais confiabilidade aos esforços de reorganização gerencial, em andamento após um ano turbulento e cercado de acusações e processos judiciais.

Fonte: Fortune, CNN Money

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.