"Seu usado na compra de um novo" é a nova tendência nas vendas de smartphones

Por Redação | 08.08.2016 às 19:46

Passando por um momento de desaquecimento econômico, o varejo resolveu partir para uma nova estratégia na intenção de aumentar as vendas de aparelhos, permitindo que o cliente leve seu modelo antigo para receber algum desconto no valor de um novo produto.

O cliente pode levar o aparelho em qualquer estado e com base em um sistema o produto será avaliado: é necessário responder a cinco perguntas relacionadas ao estado do smartphone (se está com a tela quebrada, funcionando, etc). A partir desta avaliação o sistema gera um valor de recompra e quanto ele vale na troca por um novo aparelho.

A primeira rede de varejos a realizar essa prática é a loja Magazine Luiza. "Esperamos que isso aumente nossa receita com a venda de smarthpones (...) Vamos oferecer um serviço melhor para o consumidor, ao mesmo tempo em que ganhamos um diferencial em relação aos nossos concorrentes", disse Fabrício Garcia, vice presidente da rede de lojas em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo. Inicialmente, a prática acontecerá nas lojas de São Paulo, mas eles prometem que até o fim deste ano o trade-in – como é conhecida a prática – esteja disponível em todas as lojas físicas do país. Não é possível realizar esse tipo de troca em compras pela loja online.

Segundo dados da consultoria IDC Brasil, a venda de smartphones fechou em 34,4%, nível inferior ao mesmo período do ano passado. Os dados apontam que foram vendidas 9,3 milhões de unidades de smartphones no primeiro trimestre desse ano.

Este fator coloca o trade-in em perspectiva para outras redes de varejo também. De acordo com a Brightstar, empresa que atua na área de recompra de smartphones usados, outros varejistas já iniciaram negociações similares com a empresa. "Existe uma camada de usuários que busca um smartphone premium, mas opta por comprar o mesmo modelo usado, pois não pode pagar pelo novo. Quando o aparelho está sobre a mesa, ninguém sabe se ele é usado, então o status é o mesmo", afirma José Froes, presidente da Brigthstar do Brasil. Atualmente o mercado de usados representa quase 80% do volume de vendar no país.

Ainda segundo a consultoria IDC Brasil, o valor dos smartphones no primeiro trimestre subiu 44% em relação ao valor médio ano passado. Neste primeiro trimestre, o valor girou em torno de R$ 1.139,23. De acordo com a consultoria, este alto valor prejudica principalmente as pessoas que ainda não possuem smartphone, que representam 35% da população brasileira.

Fonte: Estadão