Saraiva pede recuperação judicial para saldar dívida de R$ 675 milhões

Por Rafael Arbulu | 23 de Novembro de 2018 às 13h48

Maior rede de livrarias do Brasil, a Saraiva entrou nesta sexta-feira (23) com um pedido de recuperação judicial junto à 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. O objetivo é conseguir a anuência do órgão para que, caso o pedido seja acatado, a empresa possa executar um plano de ação para pagar a dívida de aproximadamente R$ 675 milhões junto aos seus fornecedores.

Atualmente a Saraiva possui 84 lojas espalhadas por todo o país e uma forte presente no setor de e-commerce. Em outubro, no entanto, a empresa fechou 20 unidades citando desafios operacionais e o estado da economia nacional como razões, conforme noticiou o Canaltech na ocasião. Também em outubro, a Saraiva anunciou a reformulação de seu modelo de negócios, efetivamente abandonando operações em setores menos rentáveis (como eletroeletrônicos, onde há forte concorrência de conglomerados varejistas como a B2W). Essas ações também estão citadas no pedido feito à Vara hoje.

Rede Saraiva de livrarias entra com pedido de recuperação judicial; dívida do grupo é de R$ 675 milhões

No começo do ano, a rede de livrarias tentou um pedido de recuperação extrajudicial — quando quem deve e quem tem a receber resolvem a dívida sem envolvimento jurídico —, porém o pedido foi negado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel). Na ocasião, o presidente da entidade, Marcos da Veiga Pereira, disse que a Saraiva pretendia converter 45% da dívida em ações e debentures, liquidando o restante em 120 parcelas, além do pagamento de R$ 15 mil a cada um dos credores.

A empresa ressalta que, caso o pedido de recuperação seja acatado, as operações de varejo permanecem inalteradas.

Fonte: Folha de S.Paulo; Valor Econômico

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.