Ryanair não quer atuar no Brasil por haver muita corrupção no país

Por Redação | 21.06.2016 às 19:19
photo_camera Divulgação

Se você já viajou à Europa, sabe que a companhia aérea Ryanair é bem famosa pelos seus voos low-cost, que oferecem destinos a custos bem mais em conta do que outras companhias. Em 2017, a empresa irlandesa começa as operações na Argentina, e tem como objetivo expandir sua atuação em outros países da América Latina, com exceção do Brasil. Nas palavras do presidente da companhia, Declan Ryan, o Brasil não é um mercado atraente "por ter muita corrupção".

A declaração foi dada ao jornal argentino La Nación, que também informou que os passos da companhia aérea no país terão início após a aquisição de alguma empresa nacional, como a Andes Linhas Aéreas, que já está sob análise da Ryanair. A companhia tem cinco aviões Boeing que cabem 165 passageiros, e já faz operações para México e Colômbia.

Até o momento, o presidente da Ryanair aponta as taxas aeroportuárias como as maiores dificuldades enfrentadas para penetrar no país. A Argentina foi escolhida por ter um bom potencial de clientes, após cerca de 7% da população já ter voado de avião.

Além da Ryanair, a Avianca também está entrando no mercado argentino com a compra da MacAir, empresa que fazia parte dos negócios da família de Maurício Macri, atual presidente argentino.

Se as coisas continuarem nesse ritmo, logo a Latam e a Aerolíneas Argentinas terão boas competidoras.

Fonte: Valor