Inovação e resiliência para driblar a crise

Por Colaborador externo | 03 de Outubro de 2016 às 21h12

Por Marco Stefanini*

Às vezes me perguntam qual é a receita para superar momentos de crise. Acredito que seja uma somatória de tudo: o DNA da própria empresa, que já vivenciou vários cenários econômicos desafiadores ao longo dos últimos 29 anos; a renovação das ofertas, investimentos contínuos em inovação e em gestão de pessoas, bem como o desenvolvimento de soluções que agreguem valor às estratégias de negócios dos clientes.

Na crise, precisamos aprender o exercício da superação, encontrando maneiras de manter ou de superar o desempenho e as expectativas do mercado, com melhoria de processos, automação e diversificação de ofertas para várias verticais – indústria, bancos, seguros, governo, varejo, entre outras.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A empresa já nasceu com perfil de resiliência e, ao longo das últimas décadas, tem exercido essa característica com todo vigor, estimulando a adaptação e flexibilidade para oferecer soluções que me melhor se adequem ao perfil das corporações e ao momento atual de cada uma delas. Paralelamente, estamos passando por uma forte transformação investindo em inovação, além de realizar uma série de movimentações – aquisições, fusões e joint-ventures – para complementar o portfólio e ampliar o leque de atuação em novos setores.

Antenada às principais tendências tecnológicas, a companhia conta uma estrutura robusta para implementar mudanças importantes para que os clientes se preparem para a era da Internet das Coisas e da Indústria 4.0. Hoje, conseguimos montar um banco 100% digital para qualquer instituição, promover o engajamento dos clientes com campanhas de fidelização, oferecer uma assistente virtual capaz de compreender e processar solicitações via texto e voz de maneira rápida, eficiente e intuitiva, além de garantir mais eficiência operacional para as estruturas de backoffice.

E para garantir que os processos sejam mais ágeis e eficazes, as ofertas de Business Process Outsourcing (BPO) podem ser uma boa solução. A demanda por elas tem crescido tanto que anunciamos o processo de internacionalização das ofertas, que contará com quatro delivery centers principais - Brasil, Filipinas, México e Romênia, que são países com operações consolidadas e com grande oportunidade para agregar valor às ofertas de BPO.

Novas tecnologias exigem uma energia muito grande e nem sempre se traduzem em receita imediata, mas algo para o futuro. O ideal é mesclar ofertas tradicionais com soluções disruptivas, que certamente farão a diferença no futuro. As oportunidades estão aí e precisamos aproveitá-las. Cenários econômicos instáveis, quando bem explorados, podem resultar em melhorias significativas para os negócios.

*Marco Stefanini é CEO Global do Grupo Stefanini, quinta empresa mais internacionalizada segundo Ranking da Fundação Dom Cabral 2015

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.