IBM vai ter novo CEO a partir de abril

Por Wagner Wakka | 31 de Janeiro de 2020 às 15h30
Tudo sobre

IBM

Saiba tudo sobre IBM

Ver mais

Virginia "Ginni" Rometty não será mais a CEO da IBM. A companhia anunciou nesta quinta-feira (30) que a executiva vai sair do cargo em abril. Segundo pessoas consultadas pelo Business Insider, a decisão vem da própria Rometty, após uma longa busca por um substituto.

Quem assumirá o cargo após o primeiro trimestre será Arvind Krishna, atualmente, vice-presidente de serviços em nuvem da própria IBM. Além dele, o CEO da Red Hat, Jim Whitehurst, também vai ser absorvido como presidente dentro da empresa. A gigante comprou a Red Hat em julho de 2018, em um acordo de US$ 34 bilhões.

Rometty, à esquerda, e novo CEO, Krishna, à direita (Foto: Divulgação/IBM)

Apesar das mudanças, Rometty ainda terá papel na mesa executiva da empresa até o final do ano. Só depois disso é que ela deixará a companhia completamente. A CEO está no cargo há oito anos.

A mudança mostra o foco da IBM em serviços de nuvem. “Arvind é o CEO certo para a nova era da IBM. Ele é um tecnólogo brilhante e que teve um papel importante no desenvolvimento de nossas principais tecnologias como inteligência artificial, nuvem, computação quântica e blockchain”, informou a executiva em comunicado.

Ainda, ela ressalta que a implementação de serviços em nuvem da IBM, comandado por Krishna, ajudou a IBM a libertar amarras econômicas essenciais para o crescimento. Por exemplo, permitiu que ela abandonasse data centers privados e apostasse em serviços próprios.

Apesar disso, economicamente, a IBM não apresentou crescimento nos oito anos de reinado de Rometty. Em 2013, a empresa negociava seus papéis a US$ 213, sendo que a média atual é de US$ 140.

O caminho da empresa agora é focar no sistema híbrido de nuvem, em que empresas possam trabalhar com data centers internos e externos ao mesmo tempo. O mercado é avaliado pela IBM em US$ 1 trilhão.

O mercado reagiu bem à mudança, com ações da companhia fechando em alta na casa de 6%. O principal motivo disso, segundo analistas, eram os rumores de que a CEO poderia deixar o cargo. Agora que a informação está oficializada, há mais segurança para negociações.

Fonte: IBM

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.