Empresas brasileiras têm dificuldades de partir para o mundo digital

Por Colaborador externo | 16 de Agosto de 2016 às 14h08

Que o mobile veio para transformar mercados, não é novidade. Exemplo disso é a forma que temos hoje de chamar um táxi, como o Uber ou, ainda, a forma de utilizar serviços bancários, como o Nubank. E essa transformação será inevitável. Tanto é que as empresas que surgem hoje, como é o caso das startups, já estão inseridas neste universo. E, isso é uma questão de tempo para que as empresas tradicionais transformem sua operação para o digital. Contudo, apesar de ser eficiente e prática, no Brasil, ainda encontram dificuldades e, por isso, empresários e executivos se reunirão no Global Mobile Internet Conference São Paulo, no dia 24 de agosto, no WTC Center. Para o diretor de Experiencia Digital do McDonald’s LATAM, Luiz Marcelo da Costa Correia, “a transformação digital é um caminho sem volta. As empresas que não adotarem o digital como realidade estão no caminho do fracasso. Afinal, os clientes estão cada vez mais utilizando seus smartphones como o principal meio de acesso à internet. Então, para gerar uma boa experiência na jornada de compra, as empresas precisam migrar e priorizar essa transformação no seu negócio”.

Afinal, tanto as pequenas, como as grandes empresas estão encontrando dificuldades em transformar seu modelo de negócios convencional para o digital. Isso, porque, elas não conseguem obter os recursos que precisam para manter os sistemas e serviços atuais, nem desenvolver novos serviços digitais, como aponta o estudo BMC– especialista em empresas de tecnologia global em soluções de software para TI. Correia ainda ressalta que, entre os desafios das empresas, estão “em ter um time, uma agência e prestadores de serviço com habilidade digital, que promovam a transformação dentro da empresa também, apoiando e desenvolvendo estratégias e as tecnologias que atendam as necessidades do mercado”, finaliza. Já Felipe Almeida, palestrante do Global Mobile Internet Conference São Paulo e cofundador da startup Zup, afirma que “para convencer uma empresa a transformar suas práticas de negócios de longa data, é preciso que haja um esforço de seus líderes. Eles precisam liderar, de fato, seu time. Afinal, é uma mudança radical de estrutura, rotina, vendas, negócio e cultura. Por isso, os líderes devem se esforçar para oferecer melhores experiências, impacto, relevância e facilidade aos clientes, assim como capacitação técnica ao seu time”, conta

A Zup é uma empresa de digitalização de negócios tradicionais por meio de uma plataforma de informações integradas para web, mobile e URA (atendimento de voz eletrônico) com rapidez e segurança. Almeida sabe bem o que é apresentar soluções que ajudem, por exemplo, os 64% dos executivos que afirmam encontrar dificuldade na falta de recursos suficientes para manter os sistemas atuais e desenvolver ou incorporar novos serviços digitais para a transformação digital de seu negócio, assim como os 63% dos executivos que trabalham para incorporar mais serviços digitais e tecnologias móveis em suas organizações, porém, apenas 5% atingiram completamente esse objetivo, segundo a BMC. Ainda segundo o mesmo levantamento, 77% acredita que a transformação do seu negócio para o digital aumentará a satisfação dos seus clientes e 68% que conseguirão reduzir custos, resultando, assim, em um aumento da rentabilidade.

“Mas não dá para fazer uma maquiagem e achar que seu negócio é digital. Não dá para criar um aplicativo por um aplicativo. O mobile vem para facilitar, otimizar recurso e tempo, mas é preciso ser relevante e oferecer uma experiência segura e bacana para o usuário e a empresa também. O mobile requer uma transformação e, isso, mexe com a com os processos da empresa, com os canais de venda, com a desintermediação do negócio. Ela é uma tomada de decisão que acompanha uma tendência global”, ressalta Almeida.

O futuro já começou

O palestrante do GMIC São Paulo lembra que essa transformação foi compreendida pelos bancos, por exemplo, que têm apostado, cada vez mais, nessa oportunidade de mercado para diversificar seu serviço, aumentar sua rentabilidade e fidelizar seus clientes com a facilidade que o mobile propõe. De acordo com a Pesquisa de Tecnologia Bancária de 2015, divulgada, em maio deste ano, pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o uso dos canais digitais no setor bancário brasileiro já supera a ida a pontos físicos e outros canais de atendimento pelos quais o cliente procura o banco. Em quatro anos, o número de contas bancárias acessadas por meio de aplicativos de celulares – mobile banking – aumentou 16 vezes no Brasil. Em 2011, havia dois milhões de contas desse tipo no País e, em 2015, o número subiu para 33 milhões. Esse canal foi o que registrou maior expansão em termos de atendimento bancário nos últimos anos e é hoje o segundo mais usado pelos clientes, só perde para o internet banking. “É obvio que entre ligar para um atendente ou ir até uma agência, boa parte da população irá preferir fazer isso pelo app, afinal, tudo estará na palma da mão, como realizar pagamentos, consultar saldos e extratos e até realizar empréstimos”.

Segurança

Como toda novidade, há desconfiança tanto das empresas, como da população em relação a fraudes e segurança dos clientes e operação. Esses são os mesmos desafios da web, porém, no mobile. “Hoje temos tecnologia eficiente para blindar os sistemas contra as fraudes na web e no mobile. Pode-se, por exemplo, transformar um determinado negócio com um gerenciador sistêmico, um Gateway de API que cria rotinas e padrões de programação para acesso a um aplicativo de software ou plataforma baseado na Web, blindando o sistema de fraudes, por exemplo, tornando as mesmas operações tão seguras, quanto as operações em uma loja física”, explica Almeida.

Sobre o GMIC São Paulo

O Global Mobile Internet Conference (GMIC) é um programa internacional de conferências que explora o impacto na sociedade causado pelas tecnologias mobile. O aborda as oportunidades de negócio no mercado móvel em oito cidades pelo mundo, de forma holística, como parte do ecossistema internacional. O evento é uma oportunidade para líderes da indústria mobile compartilharem ideias, fomentarem negócios e futuramente desenvolverem atuação internacional.

Quando: 24 de agosto de 2016, das 08h às 20h

Local: WTC Events Center em São Paulo – Av. das Nações Unidas, 12551, Brooklin Novo, São Paulo – SP, CEP 04578-903

Como: As inscrições estão disponíveis pelo site: http://saopaulo.thegmic.com/

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.