Empresa de segurança explica como empresas podem se proteger da deep web

Por Redação | 25.07.2017 às 16:02

A deep web é a área da internet que oferece um ambiente onde hackers e outros criminosos virtuais conversam e compartilham códigos e estratégias maliciosas à vontade, e, portanto, é uma grande preocupação para empresas em geral. De acordo com uma pesquisa da Trend Micro, foram descobertas 576 mil URLs únicas na deep web, que coletam mais de 38 milhões de eventos individuais.

Para a pesquisa, foi necessária uma análise de dois anos, e a empresa descobriu que a deep web tem 7.500 terabytes em dados — um número estratosférico se comparado com os 19 terabytes da internet convencional.

Mas o que acontece na deep web?

Apesar de o senso comum enxergar a deep web como um antro de venda de drogas e armas, ela vai muito além disso. O espaço seguro onde não há censura acabou se transformando em um refúgio para o cibercrime, onde hackers conseguem obter informações de maneira ilegal para fins fraudulentos, criar e divulgar malwares e arquitetar invasões em conjunto.

Portanto, quando empresas têm seus sistemas invadidos, muito provavelmente seus dados serão vendidos na deep web. Além disso, e de acordo com a firma de segurança digital, os hackers vendem ali não só amostras de vírus como também promovem a rede TOR, que abriga esta parte da internet para sustentar os ataques. “Infelizmente, dados todos os benefícios que os cibercriminosos conseguem ao hospedar partes mais permanentes de suas infraestruturas nos serviços ocultados pela TOR, acreditamos que cada vez mais famílias de malware se mudarão para a deep web no futuro”, explicou a empresa.

É possível se proteger?

Na verdade, nenhum usuário ou empresa é considerado intocável quando o assunto são os ciberataques. E nem mesmo os cibercriminosos conseguem se proteger, muitas vezes atacando uns aos outros. Contudo, empresas preocupadas com sua segurança podem aproveitar alguns insights obtidos pela Trend Micro com a experiência de se usar a deep web para aumentar sua proteção.

Pelo fato de os mercados de malwares serem abundantes por lá, estudar essas atividades pode ajudar as empresas a estarem mais bem preparadas no que diz respeito a proteger seus sistemas e aplicações. A tendência na venda de ransomware, por exemplo, revela a necessidade de as companhias monitorarem com mais comprometimento as atividades em suas redes a fim de detectar anomalias que podem indicar um ataque.

“Em outras palavras, a deep web pode ser pensada como um pequeno lago cheio de peixes premiados para serem pescados por uma empresa que está tentando reforçar suas defesas. Descubra o que pode ter sido roubado ou usado contra você e melhore sua postura geral em segurança para fechar qualquer brecha para infiltração”, recomendou a Trend Micro.