Emil Michael é demitido da Uber após investigação de escândalos

Por Redação | 12 de Junho de 2017 às 17h21

Parece que a Uber realmente está empenhada em reformular sua cultura corporativa, que vem sendo amplamente criticada ao longo dos últimos meses. Nesta segunda-feira (12), a companhia confirmou que o vice-presidente sênior de negócios, Emil Michael, deixou a empresa. Ainda não está claro se o executivo realmente foi demitido ou se ele mesmo optou por renunciar ao cargo, mas ao que tudo indica, sua saída está relacionada às investigações sobre o ambiente de trabalho da empresa.

Michael foi acusado de participar e de tentar esconder uma série de polêmicas envolvendo casos de violência dentro da companhia. Caso as alegações estejam certas, o executivo foi cúmplice em diversas situações sexistas e esteve envolvido no caso da engenheira Susan Fowler Rigetti, que escreveu uma carta denunciando a cultura machista da Uber. As investigações, conduzidas por Eric H. Holder Jr., da Covington & Burling, foram entregues no conselho da Uber no domingo. O relatório recomendou que Michael deixasse a empresa, e o conselho afirmou que aceitou todas as recomendações.

"A Uber tem um longo caminho a percorrer para conseguir tudo o que pode e estou ansioso para ver o que vocês realizarão nos próximos anos", disse Michael em sua nota de despedida aos funcionários. "Entrei na empresa quase quatro anos atrás, e realmente foi uma grande experiência ajudar a Uber a se tornar a empresa de mais rápido crescimento de todos os tempos — abrangendo 75 países com mais de 14 mil funcionários", completou.

A partir de agora, David Richter, VP do Uber para iniciativas estratégicas, ocupará o cargo de Emil Michael. Será que a saída do executivo fará diferença na companhia?

Via Engadget

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.