Disney revela quais são os planos para seu serviço próprio de streaming

Por Redação | 10 de Novembro de 2017 às 11h32
photo_camera Divulgação

A Disney demonstrou que está empenhada em acelerar o lançamento de seu serviço próprio de transmissão de vídeos on demand, e isso parece ter se intensificado mais ainda após a gigante do entretenimento registrar quedas em três de seus quatro negócios majoritários neste último semestre. Os resultados financeiros apontam para uma baixa de 21% nas receitas no setor de filmes e recuo de 43% no lucro operacional, para US$ 218 milhões.

Em recente conferência com analistas, Robert Iger, presidente e CEO da Walt Disney, revelou que a companhia está trabalhando no desenvolvimento de séries de TV baseadas em suas franquias mais conhecidas, incluindo Star Wars, Monstros S.A., High School Musical e Marvel, que serão exibidas com exclusividade no serviço de streaming previsto para ser lançado na segunda metade de 2019.

Na ocasião, o executivo também comentou sobre a estimativa de preço do serviço de vídeos on demand, afirmando que a mensalidade será "substancialmente abaixo da Netflix", justificada, em grande parte, pelo fato de que a plataforma iniciará com pouco conteúdo.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Iger também falou sobre a parceria com a ESPN para lançar um serviço chamado ESPN Plus, previsto para chegar no ano que vem. A ideia dessa empreitada é um aplicativo móvel no qual os espectadores poderão conferir todos os placares e destaques de diversas modalidades esportivas.

O executivo também confirmou que a empresa vai lançar uma quarta trilogia de filmes da saga Star Wars.

Segundo os dados do Wall Street Journal, o único setor da Disney que apresentou crescimento no quarto trimestre foi o de parques e resorts, com bons resultados nas Disneylândias da Califórnia, de Paris e de Shanghai, bem como na sua divisão de cruseiros e clubes de férias. Em contrapartida, as atividades do Walt Disney World, em Orlando, na Flórida, foram drasticamente afetadas, sobretudo devido aos desastres causados pelo furação Irma, o que causou o fechamento do parque por tempo indeterminado.

Enquanto os negócios de TV a cabo apresentam constante declínio, companhias de streaming como a Netflix e Hulu continuam a crescer anualmente. Tendo em vista este cenário, é comum que as grandes empresas de entretenimento migrem, aos poucos, para o novo formato de transmissão de conteúdos em vídeo.

Fonte: WSJ

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.