Dell estuda novas aquisições e lançar oferta pública para reduzir prejuízo

Por Redação | 26 de Janeiro de 2018 às 09h45
Divulgação
Tudo sobre

Dell

A gigante dos computadores Dell está pensando em expandir suas operações. Motivada por resultados financeiros não muito favoráveis, a empresa texana estuda fazer aquisições no mercado ou levar seu capital para a Bolsa de Valores.

A decisão deverá ser tomada até o fim de janeiro pelo Conselho de Administração, no que promete ser a maior movimentação da história da Dell desde a compra da EMC, empresa de armazenamento de dados, por US$ 67 bilhões, em 2016.

O problema vem diretamente desse negócio. A aquisição da EMC não aumentou a receita da Dell nem ajudou a cortar custos. Pelo contrário, os custos de componentes aumentaram e o mercado de armazenamento, cada vez mais competitivo, acabou por pulverizar as margens da empresa.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O mercado de armazenamento de dados está muito concorrido, principalmente por conta da forte presença da Amazon Web Services e do Azure, da Microsoft. Esse cenário fez com que os preços fossem pressionados para baixo, e a EMC está reorganizando suas operações neste momento.

Desse cenário vem a pressão para a Dell aumentar seu fluxo de caixa por meio de aquisições, que permitiram incrementar suas ofertas.

Some-se a esse problema a dívida de US$ 52,5 bilhões, que deverá crescer em 2018 devido à reforma fiscal dos Estados Unidos.

O caminho para a Bolsa

Além das aquisições, está na mesa de conversas uma possível oferta pública (IPO) de uma de suas divisões. A Pivotal Software, que desenvolve soluções de produtividade, seria uma das opções.

O portfólio da Dell é amplo: vai de servidores, displays, desktops e PCs voltados para jogos a uma unidade de segurança e uma plataforma de nuvem chamada Boomi.

Essa amplitude dá boas margens de negociação, tanto para ir à Bolsa como para promover novos negócios.

Além disso, há a possibilidade de a Silver Lake, empresa de investimento que fez um aporte na Dell de US$ 24,9 bilhões em 2013, vender sua participação — hoje, de 18% — no mercado em uma possível entrada na Bolsa.

Dessa forma, a Dell reduziria o pagamento de juros, cerca de US$ 2 bilhões por ano.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.