Corte dos EUA aprova junção da AT&T com a Time Warner

Por Natalie Rosa | 13 de Junho de 2018 às 12h08
photo_camera Reprodução
TUDO SOBRE

Warner Bros

A AT&T foi autorizada pela corte dos Estados Unidos a adquirir a Time Warner por US$ 85 bilhões. O acordo de fusão havia sido criticado pelo presidente do país, Donald Trump, que se opôs desde o início das negociações.

O plano da AT&T em adquirir a Time Warner começou ainda em 2016, mas, em março, o Departamento de Justiça (DoJ) decidiu bloquear a fusão afirmando que a concorrência seria reduzida e prejudicaria a escolha do consumidor.

A preocupação com a diminuição da concorrência faz parte da regulação antitruste, que tem o objetivo de proteger o consumidor de práticas comerciais injustas que surgem com consolidações de empresas.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Porém, no caso da Time Warner e da AT&T, a fusão é vertical, ou seja, as duas companhias têm ofertas diferentes ou complementares de produtos, unindo suas forças e fornecendo ao consumidor mais serviços a custos reduzidos, sem deixar de gerar lucro — outra grande preocupação do DoJ.

A Time Warner é a criadora do conteúdo, trabalhando com canais como TNT, HBO, Warner Bros e TBS, enquanto a AT&T é a maior distribuidora de programação em vídeo dos Estados Unidos.

Agora, a Time Warner e a AT&T são concorrentes diretas do Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google, chamadas de "FAANG", empresas que escolheram o conteúdo em vídeo como prioridade absoluta.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.