Baidu cria fundo de US$ 1,5 bilhão para investir em condução autônoma

Por Redação | 21 de Setembro de 2017 às 09h30

A Baidu anunciou nesta quinta-feira (21) a criação de um fundo de US$ 1,52 bilhão destinado a aceleração do desenvolvimento de tecnologias relacionadas à direção autônoma. A gigante chinesa quer estar em uma posição mais competitiva em relação às demais empresas do setor, especialmente as norte-americanas. Chamado de Fundo Apollo, o investimento será realizado em 100 projetos de direção autônoma nos próximos três anos.

Em abril, a Baidu já havia adotado uma outra estratégia para acelerar o desenvolvimento e ajudá-la a competir com empresas como a Tesla e a Google e seu projeto Waymo. A estratégia foi abrir sua tecnologia de condução autônoma para terceiros com a finalidade de coletar informações e aperfeiçoar sua tecnologia. Recentemente, a empresa lançou o Apollo 1.5, a segunda geração de seu veículo autônomo de código aberto, que permitirá aos parceiros utilizar a nova tecnologia de percepção de obstáculo e mapas de alta definição, entre outras funções.

O projeto Apollo tem como meta desenvolver uma tecnologia de carros totalmente autônomos, que, de acordo com a projeção da empresa, estarão acessíveis ao mercado e disponíveis para andar nas ruas das cidades chinesas até 2020. Ao todo, a empresa já conta com 70 parceiros em vários segmentos da indústria automotiva, como a Nvidia e a TomTom.

O investimento da Baidu em tecnologia de condução autônoma tem se intensificado depois que a empresa resolveu se reorganizar para buscar novas fontes de receitas. Seu principal negócio, que envolve anúncios publicitários, encolheu em 2016 depois que o governo chinês decidiu implementar regras mais rigorosas sobre publicidade no setor da saúde.

A empresa também tem enfrentado desafios no segmento de condução autônoma, sendo necessário negociar regras chinesas locais que anteriormente não permitiam que a ela realizasse testes de condução em rodovias. Meses atrás, a polícia local de Pequim informou que estava investigando a Baidu por ter descumprido as regras e trafegado um de seus carros em rodovias públicas.

Fonte: Reuters

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.