Pesquisa revela que 2015 será um ano ruim para os novos negócios

Por Redação | 06 de Março de 2015 às 16h30

O Brasil ganha a cada vez mais novos negócios e startups e, desde 2013, já é reconhecido como um dos países com melhor desempenho no ranking mundial de empreendedorismo entre os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

A PiniOn, plataforma mobile de pesquisa, realizou um estudo sobre empreendedorismo com 2.119 pessoas com idades entre 18 e 64 anos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, Curitiba, Brasília e Recife para avaliar como andam as coisas por aqui e quais as tendências para este ano.

O resultado mostrou que 58% das pessoas não acreditam que 2015 será um bom ano para o empreendedorismo e 23% acham que o ano de 2014 foi mais fácil para os novos negócios. Para 54% dos entrevistados, essa descrença geral também se estenderá para os próximos dois anos, considerados igualmente difíceis para eles. São Paulo se destacou como a cidade mais pessimista, pois 64% dos entrevistados não acreditam que será um bom ano. Já Salvador está bastante otimista, com 59% de respostas positivas.

A pesquisa da PiniOn também mostrou que 48% dos entrevistados acreditam que o principal desafio de um empreendedor é a alta competitividade do mercado, enquanto 38% votam nas dificuldades geradas pelo cenário econômico nacional e internacional.

Entre as cidades que prosperam os empreendimentos, 50% são de médio porte, 30% cidades grandes e 20% pequenas. Cerca de 25% dos entrevistados já têm um negócio próprio e as proporções são praticamente as mesmas em todas as cidades, com exceção de Curitiba, que ganha um leve destaque com 33% dos participantes. Dos que já possuem empresas, 94% deles dizem que elas são de pequeno porte e 43% foram abertas há menos de cinco anos.

Sobre os entrevistados que não possuem negócio próprio, 89% têm vontade de abrir sua própria empresa e a cidade de Recife se destaca por 92% dos que ainda não têm empresa quererem abrir uma.

Entre os empreendedores, 52% têm entre 25 e 34 anos, enquanto 26% têm entre 18 e 24. Em relação aos gêneros, 49% são mulheres e 51% homens. Salvador se destaca como a cidade com a maior proporção de jovens donos de negócios, sendo 84% deles entre 18 e 34 anos. A cidade também tem a maior proporção de empreendedores mais velhos, com 6% dos entrevistados com 45 anos ou mais.

Além disso, o levantamento apurou que 51% das pessoas planejam abrir um negócio próprio daqui a um e cinco anos, 25% de seis a dez anos, 7% em menos de um ano e 12% não tem uma pretensão definida. 77% deles pretendem abrir uma empresa pequena com até 19 funcionários.

Entre os motivos para empreender, 58% dizem querer a independência financeira, 16% desejam oportunidades de crescimento profissional, 7% por ideias inovadoras, 7% pelo ideal da empresa e 4% pela solução para a dificuldade em lidar com estruturas hierárquicas de empresas existentes.

Os setores mais buscados são o comércio, com 40%; serviços, com 35%; e tecnologia, com 10%. Mesmo sendo o menos buscado, o setor de tecnologia aparece no estudo como um dos que mais devem ter sucesso em 2015, sendo a aposta de 36% dos entrevistados.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.