PIB do Brasil pode aumentar 0,5% com transmissão de dados, afirma Microsoft

Por Redação | 17 de Junho de 2014 às 10h00
Tudo sobre

Microsoft

Mariano de Beer, presidente da Microsoft no Brasil, prevê que o Big Data trará um aumento de 0,5 ponto percentual no PIB do Brasil nos próximos anos. Para ele, a expansão do fenômeno trará consigo o aumento da transmissão de dados no país. As informações são da Folha de S.Paulo.

Beer ainda diz que esse aumento representa "muito dinheiro" e pode alcançar a marca de R$ 50 milhões para os próximos anos. O executivo ressalta que antes os dados eram praticamente de exclusividade das empresas, porém, com a expansão da internet, mais pessoas estão utilizando e compartilhando dados na rede, em especial nas redes sociais, que têm se tornado uma tendência crescente e continuará sendo para os próximos anos.

Para o executivo, antes os profissionais que lidavam com grande quantidade de transmissão de dados eram majoritariamente da área de tecnologia, mas agora profissionais de diversas áreas, como marketing, vendas e outros setores comerciais, estão tendo que analisar e lidar com dados de empresas e clientes.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

O vice-presidente da Oracle no Brasil, Fernando Lemos, também já admitiu que as redes sociais passaram a disponibilizar dados pessoais e de preferências das pessoas. E, com tantas informações assim, cabe às empresas conseguir mensurar tudo para conquistar potenciais clientes.

O superintendente de concorrência da Anatel, Carlos Manuel Baigorri, espera que a conexão 4G ajude no aumento do tráfego de dados no país e que a expansão da tecnologia permita que uma maior quantidade de dados seja transferida de maneira mais rápida.

No segundo semestre deste ano, a Anatel concederá a frequência de 700 megahertz para a prestação do serviço de 4G pelas operadoras. Segundo Baigorri, o leilão irá baratear o custo da tecnologia para os usuários, fomentando ainda mais a transmissão de dados que alavancará o PIB brasileiro nos próximos anos.

Na frequência de 700 MHz, as operadoras precisarão fazer um investimento menor, o que certamente ajudará na rapidez para a concessão do serviço, bem como nas mensalidades mais acessíveis para os consumidores.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.