Meios eletrônicos passam dinheiro como forma de pagamento mais utilizada

Por Redação | 05 de Junho de 2014 às 16h45
photo_camera Maxx-Studio

Foto:Maxx Studio/Shutterstock

O ano de 2013 acabou com uma surpresa no mercado nacional: pela primeira vez o uso de meios eletrônicos para as compras e o pagamento de contas ultrapassou o de dinheiro vivo. Segundo um estudo feito pela Boanerges & Cia, consultoria em varejo financeiro, os brasileiros alteraram a principal forma de pagamento no país.

Segundo a consultoria, em 2013 os meios eletrônicos de pagamento movimentaram aproximadamente R$ 1,1 trilhão, em diversas modalidades, como cartões de crédito, débito, lojas, rede, pré-pago e também os pagamentos feitos via celular. Esse valor representa 37% dos gastos feitos no Brasil. O gasto total foi de R$ 3 trilhões e, segundo o IBGE, 36% dessas transações foram feitas com dinheiro. A diferença de 1% é pequena, mas mostra novas tendências no mercado nacional.

Os meios eletrônicos de pagamento tiveram o primeiro grande feito em 2004, quando superaram o uso dos cheques no pagamento de contas e compra de mercadorias. Na época, a mudança não surpreendeu. No entanto, se considerava improvável que o dinheiro também fosse ultrapassado pelo uso dos novos meios de transações financeiras e a mudança parecia distante para a realidade brasileira.

A mudança registrada no último ano demonstra uma tendência que pretende continuar nos próximos anos. Segundo as previsões da Boanerges & Cia, em 2018 os meios eletrônicos serão utilizados em 50% das compras realizadas pelos brasileiros e em 2023 este número irá crescer para 60% do total. Neste cenário o dinheiro será utilizado em 17% das transações. Entre os recursos que irão impulsionar o aumento do uso dos meios eletrônicos está o uso cada vez mais frequente do celular como instrumento de pagamento.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.