Faça da sua TI uma Unidade do Negócio e não apenas um Centro de Custo

Por Colaborador externo | 01 de Outubro de 2013 às 18h05

Por Leandro Vaz*

No cenário atual, os Gestores de TI têm como principal responsabilidade buscar nas diretrizes do negócio a identificação dos planos de ação para a entrega da melhor solução, sendo papel fundamental transmitir a sua Diretoria Administrativa, a percepção e identificação da importância que as ações na área possuem em gerar a sinergia entre as unidades de negócio, no intuito de se atingir os objetivos esperados de maneira global.

Sobre esse contexto, o gerenciamento da integração entre a TI e o Negócio, engloba a colocação das pessoas certas em posições corretas e responsabilidade direta sobre suas decisões, assim, buscando assegurar que os investimentos estejam alinhados com os objetivos estratégicos do negócio. Como ponto chave para se obter esse alinhamento, a Governança de TI busca a aplicação dos princípios da Governança Corporativa a fim de controlar e dirigir a TI de maneira estratégica, visando dois pontos chaves, o valor que a TI agrega à organização e a diminuição e controle dos riscos associados a ela. As definições de suas regras tem como finalidade a operação das funções da TI de forma mais eficaz e eficiente na organização, sendo de forma abrangente resultado do senso comum, da padronização, da experiência e de “melhores práticas” aceitas pelo mercado. Alguns mecanismos como a presença de comitês, participação da TI na elaboração da estratégia corporativa, processos de formulação e aprovação de projetos, além do uso de frameworks comumente encontrados em literatura especializada (Cobit, ITIL, ISO 20000) são mecanismos que indicam o caminho para um comportamento consistente para a organização, alinhado os investimentos de TI com a missão, estratégia, valores e cultura organizacional.

Assista Agora: Descubra o jeito certo de criar verdadeiros times de alta-performance e ter a empresa inteira focada em uma única direção.

Atualmente as áreas de TI são grandes receptoras de demandas das várias Unidades de Negócio, focando seus esforços em executar ou tentar executar tudo o que é solicitado sem a devida análise do que está ou não alinhado com as estratégias do negócio. Sendo assim, a TI passa somente a atender as necessidades locais de cada unidade, sem a preocupação com as diretrizes da organização para seu desenvolvimento e crescimento, se tornando um grande centro de custo onde são destinadas grandes fatias de orçamentos, sem que se tenha a visão de como isso retornará para o negócio em formato de contribuição para se atingir os objetivos estratégicos.

É muito importante entender como integrar os processos de negócio, os dados e a tecnologia de forma que seja possível uma visão global da organização. É fundamental que a TI desenvolva sua habilidade em transformar as definições estratégicas do negócio em ações claras e transparentes, gerando uma conscientização junto aos níveis organizacionais. Identificar as ações necessárias para a geração do alinhamento estratégico é parte fundamental para iniciar a transformação da visão de TI, deixando de ser apenas um Centro de Custo e se tornando uma Unidade cooperativa para se atingir os objetivos do Negócio.

* Leandro Vaz é formado em Processamento de Dados e pós graduado em Governança de TI pela Universidade Mackenzie. Ele ministra cursos, treinamentos, palestras e workshops em diversas áreas e empresas. É ainda CEO e founder da LeadWork.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.