Custo por engajamento é uma nova realidade?

Por Colaborador externo | 21 de Maio de 2013 às 17h12

Por Felipe Morais*

Uma página tem milhões de fãs no Facebook. Isso é bom ou ruim? Depende muito do seu ponto de vista. Quando você avalia a qualidade dos comentários e só vê piadas (a maioria sem graça ou óbvias) e não vê ninguém elogiando a sua marca, o quanto isso é vantagem para a marca? E quando nem 1% dos acessos ao seu site vem do Facebook? Seu usuário está engajado?

Segundo a vice-presidente da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), Solange Oliveira, “em 2006 nos Estados Unidos surgiu o Custo por Engajamento, ou seja, isso não é nada novo, mas sim pouco usado. Nos últimos 6 meses, o CPE é o que mais tem dado resultados na publicidade online”. O que pode ser não uma tendência, mas podemos ver um aumento desse recurso aqui no Brasil agora em 2013, uma vez que quanto mais formas do anunciante pagar apenas pelo resultado, menos os veículos vão gostar, porém, mais os anunciantes vão investir.

Ainda segundo Solange, um engajamento pode ser definido como sendo: visualização, partilha, votação, comentário, análise, jogar, responder uma enquete, ou seja, o primeiro passo depende muito do objetivo da ação, do planejamento que foi feito e o que o anunciante pretende com a campanha. Vendas poderiam, se esse for o objetivo da marca, entrar nesse conceito de engajamento.

Eu sempre digo que o engajamento vai muito além do curtir o post ou a foto. As pessoas precisam vestir a camisa da marca, precisam defender, compartilhar e comentar a favor das marcas. Piadinhas são esperadas, mas devem ser desconsideradas. Foque em quem realmente se interessa pela sua marca.

Marcas que possuem um alto índice de engajamento tendem a ter uma melhor reputação no mundo digital, algo que não é muito olhado pelos gestores, mas é muito avaliado pelos consumidores.

Curtir

Esse engajamento pode ser feito em diversas ferramentas, não apenas nas Redes Sociais, mas também em canais como e-mail marketing, Links Patrocinados, blog, mobile e até mesmo em peças de mídia display, em sites ou na rede do Google. Muitos esquecem, mas o e-mail marketing, por exemplo, além de permanecer vivo (apesar de teóricos já terem o matado) é um excelente canal de engajamento, pois desde os “primórdios” da Internet as pessoas repassam e-mails interessantes a amigos, e não estamos falando daquelas correntes de “passe para 10 amigos e fique rico amanhã”, estamos falando de uma promoção recebida de um grande varejista que o filho repassa ao pai, por exemplo.

A internet é uma ferramenta muito poderosa de comunicação. A cada dia surgem novidades para os gestores de comunicação, marketing e vendas. É preciso ficar de olho nessas tendências, pois podem ser diferenciais dentro de uma estratégia digital. Quando falamos de e-commerce, então, fazer uma campanha de CPE pode ser uma excelente forma de ampliar as vendas, com baixos investimentos, e assim, ampliar o ROI da sua marca. Pense nisso!

*Felipe Morais é diretor de novas mídias da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM).

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.