A oportunidade das redes sociais para o mercado de distribuição de TI

Por Colaborador externo | 20 de Agosto de 2013 às 10h20

Por Mariano Gordinho*

A última pesquisa do Ibope apontou que já somamos 94 milhões de brasileiros com acesso à internet. Já de acordo com levantamento do Facebook, o Brasil alcançou 73 milhões de usuários. Ou seja, quase quatro em cada cinco brasileiros conectados possui uma conta na rede social.

Os números consolidam um crescimento de 630% desde fevereiro de 2011, quando o Facebook começou oficialmente sua operação no Brasil e abriu um escritório em São Paulo. Na época, a rede social tinha 10 milhões de usuários no país.

Segundo a companhia de Mark Zuckerberg, um a cada três brasileiros cadastrados já visita a rede social a partir de dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

Ao mesmo tempo, uma pesquisa encomendada pela Unisys ao IDC sobre o fenômeno da “Consumerização de TI no Brasil” revela que houve aumento no acesso às redes sociais para fins comerciais no país, e 34% dos brasileiros entrevistados utilizam o Facebook para trabalho.

O Brasil lidera a lista dos países em que os profissionais acessam o site pelo menos uma vez por dia para fins corporativos e pessoais: 58,8% dos brasileiros entrevistados disseram navegar no Facebook diariamente, enquanto na Inglaterra eles são 44,3% e na França 35,9%.

Para completar esse cenário, um estudo da consultoria McKinsey aponta que as tecnologias sociais têm o potencial de aumentar a produtividade de trabalhadores qualificados de 20% a 25%.

Especificamente no mercado de distribuição de TI, com mais de 3 mil revendas no país, criamos uma grande oportunidade. Afinal, desse alto número de empresas, mais de 80% delas contam com menos de dez profissionais e são companhias com cunho familiar, de acordo com a Pesquisa do Setor, Salarial e Censo de Revendas. Esse é o principal público que está conectado na rede social.

É um empresário que utiliza em formato pessoal, mas ao mesmo tempo profissional. Ele está ali para se comunicar com os amigos, mas também em busca de negócios.

Cabe então ao distribuidor marcar presença nesse ambiente, utilizar as redes sociais para ter mais uma via de diálogo com o empreendedor que precisa de informações e de atenção.

Com este objetivo, os distribuidores precisam passar a olhar as redes sociais e encará-las como oportunidade. As mídias sociais não são mais um luxo para qualquer empresa. Hoje é um canal para estar na frente do contato e ampliar a proximidade do cliente.

* Mariano Gordinho é Presidente da ABRADISTI – Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos e Serviços de TI

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.