3 oportunidades de inovar seu negócio utilizando tecnologia móvel

Por Redação | 17 de Dezembro de 2016 às 10h06
photo_camera DepositPhotos/SergeyNivens

Imagem: DepositPhotos/SergeyNivens

Depois de experimentar altas sucessivas ao longo dos últimos anos, os dispositivos móveis devem ver suas remessas permanecerem estáveis nos próximos cinco anos. Os tradicionais notebooks, por outro lado, devem continuar em declínio devido à crescente onda de substituição por ultraportáteis.

É um futuro, no mínimo, morno para ambos os segmentos - algo que não será compartilhado pelos dispositivos vestíveis, que já vem apresentando forte crescimento e ampliando seu público. Por causa disso, o Gartner acredita que a definição de "portátil" mudará nos próximos cinco a dez anos. Em vez de dispositivos, a mobilidade significará ser onipresente em serviços relevantes, entregues em qualquer lugar, por qualquer pessoa ou coisa, para qualquer pessoa ou coisa.

"Os CIOs (Chief Information Officers) precisam dominar duas dimensões diferentes da mobilidade: se sobressair na mobilidade tradicional e inovar na era pós-aplicativos. A tecnologia portátil sempre se baseou em encontrar novas maneiras de fazer coisas antigas, apenas transferir um formulário em papel para um tablet não é um bom uso da tecnologia portátil. O ideal é mudar os processos de negócios e encontrar novas formas de enfrentar velhos problemas”, explica Nick Jones, vice-presidente e analista emérito do Gartner.

E tudo isso significa que há novas oportunidades para inovação nas empresas. De dispositivos vestíveis que já vêm sendo usados para procurar e selecionar materiais em um depósito, a bots, chatbos e assistentes pessoais virtuais que fornecem novas maneiras de executar as funções de negócio, aos poucos estamos deixando de ser os únicos interagindo com apps portáteis e dispositivos à medida que a Internet das Coisas (IoT) e a portabilidade se unem.

Jones, então, destaca as três principais áreas para explorar a inovação portátil na empresa:

1. Sensor de localização

"Há mais de 20 tecnologias para rastreamento sem fio de objetos dentro de casa e muitas maneiras interessantes de aplicar essas tecnologias", afirma Jones. Um exemplo são os Bluetooth beacons que estão sendo implantados em estações ferroviárias na nova rede MTR Crossrail para ajudar a informar e localizar pessoal e equipamentos. Os túneis Rebouças e Zuzu Angel, no Rio de Janeiro, também já contam com essa tecnologia para ajudar motoristas e o tráfego.

Na indústria, a microlocalização pode informar precisamente a uma chave de torque qual parafuso está anexado a uma máquina, então é possível programar o ajuste de torque automaticamente, eliminando o risco de erro humano.

2. Sensores e aplicativos portáteis

A combinação de IoT com aplicativos portáteis apresenta muitas novas possibilidades para a automação do local de trabalho. O vice-presidente do Gartner incentiva os CIOs a pensarem sobre esse potencial em suas organizações.

"Quais dados os sensores podem gerar para serem combinados com aplicativos portáteis que permitam que sua equipe seja mais eficiente e ainda goste mais do seu trabalho? Tente unir a IoT com as suas estratégias de portabilidade e observe quais ideias surgem”, explica Jones.

Um exemplo é o uso de sensores para geração de ordens de trabalho. Quando instalados em locais como portas de banheiro, cestas de lixo ou armários de alimentos, esses sensores podem ser configurados para identificar quando há necessidade de limpeza, recarga ou manutenção e assim alertar a equipe ou fornecedor apropriado.

3. VPAs empresariais

Além dos VPAs já conhecidos como Cortana e Alexa, há VPAs otimizados para uso empresarial, como o EVA Openstream. Os assistentes pessoais virtuais podem automatizar ou simplificar muitas tarefas. Um exemplo seria substituir o preenchimento de um formulário pelo computador ou telefone para processar uma fatura por apenas utilizar um comando de voz a um EVA dizendo "Ok, pague".

"Busque em seu negócio oportunidades de inovação que utilizem tecnologias portáteis tanto nas partes voltadas para os consumidores quanto para os colaboradores. É preciso pensar em como essas tecnologias podem tornar a vida da sua equipe e de seus clientes mais fácil utilizando dispositivos vestíveis e VPAs selecionados para tarefas de trabalho”, completa Jones.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.