Mozilla anuncia o fim do suporte ao Flash no Firefox

Por Redação | 20 de Julho de 2016 às 17h20

Os plug-ins para navegadores, especialmente o Flash, permitiram algumas das experiências mais utilizadas hoje em dia na web, como reprodução de vídeos e conteúdos interativos. Porém, esses mesmos incrementos que trazem tantas vantagens às vezes acarretam problemas de instabilidade, performance e segurança aos navegadores. Claro, essa não é uma troca justa que os usuários deveriam ter que fazer em função do entretenimento. Por isso, a Mozilla anunciou nessa quarta-feira (20) os próximos passos para abandonar de vez o Flash no Firefox.

A Mozilla e a internet como um todo vêm aos poucos reduzindo a necessidade do Flash para exibição de certos conteúdos nos sites. Começando em já em agosto desse ano, o Firefox vai passar a bloquear certos conteúdos em Flash que não são necessários para experiência do usuário, mantendo o suporte para aqueles que de fato são essenciais.

Em comunicado no blog da empresa, ela diz que essas e outras futuras mudanças vão trazer mais segurança, estabilidade, prologar a duração da bateria, permitir o carregamento mais rápido das páginas e trazer melhorias gerais no Firefox. Além disso, ao longo dos últimos anos, o Firefox tem implementado Web API´s para substituir funções que antes eram fornecidas apenas através de plug-ins, incluindo reprodução de áudio e vídeo, streaming, gráficos em 2D e 3D mais ágeis e aplicações que necessitam acesso da câmera e do microfone.

À medida que os sites foram substituindo o Flash para outras tecnologias web, a taxa de incidente do plug-in no Firefox caiu significativamente:

gráfico firefox

(Foto: gráfico mostra a tendência de diminuição de incidentes com o plug-in)

É possível ver como a queda está acontecendo desde 2015, mais especificamente quando o Youtube adotou o HTML 5, e tende a continuar ao longo do tempo. Para isso, o Firefox vai continuar bloqueando conteúdos em Flash invisíveis para os usuários, esperando uma queda de até 10% em incidentes e travamentos no navegador. Para minimizar os problemas de incompatibilidade dos portais, as alterações serão somente em uma pequena lista de conteúdos que podem ser substituídos facilmente pelo HTML, com a previsão dessa lista ir aumentando aos poucos, conforme os conteúdos se adaptem.

Para 2017, a empresa planeja que o navegador solicite um clique específico do usuário para a ativação do plug-in em qualquer tipo de conteúdo em Flash. Sites que atualmente utilizam o Flash ou SIlverlight para vídeos ou jogos devem planejar a adoção da tecnologia HTML o mais rápido possível. O Firefox atualmente suporta outras alternativas ao Flash para reprodução de vídeos criptografados, como o Primetime e Google Widevine.

A empresa informa que continua a trabalhar em conjunto com a Adobe para entregar a melhor experiência possível ao usuário, liderando equipes de engenheiros de diversas áreas. Todas essas mudanças fazem parte dos esforços da empresa em fornecer uma navegação rápida e segura sem sacrificar as tantas possibilidades de entretenimento da web. A empresa ainda reforça o comunicado feito no ano passado, afirmando que o Firefox planeja acabar com o suporte para todos os plug-ins NPAPI, exceto o Flash, em março de 2017. Para as grandes empresas que possuem grandes parques de máquinas e precisam de mais tempo para se adequar, a empresa informa que sua próxima grande versão ESR (versão com suporte estendido), também agendada para mesma data, vai continuar a suportar tecnologias como Silverlight e Java até o início de 2018.

Via:SlashDot