Microsoft corrige falha crítica no Internet Explorer

Por Redação | 19 de Agosto de 2015 às 11h51

Enquanto o Edge ganha cada vez mais adeptos com a chegada e as atualizações de usuários para o Windows 10, a Microsoft continua de olho no Internet Explorer. Tanto é que, nesta semana, mais uma falha crítica de segurança foi corrigida no navegador. Desta vez, a vulnerabilidade permitia que hackers tomassem controle do computador de alguém a partir de sites programados especialmente para esse fim.

Para que o ato acontecesse, bastava que a vítima clicasse em links específicos, que poderiam ser enviados por e-mail, redes sociais, mensageiros instantâneos ou simplesmente estarem colocados em outros sites. Uma vez que isso acontecesse, o hacker poderia acessar os arquivos e ter os mesmos privilégios no sistema que o usuário, o que acaba sendo um problema bastante sério no caso de usuários corporativos, que podem abrir as portas para servidores e redes internas.

A falha foi descoberta por um pesquisador do Google e afeta as versões de 7 a 11 do Internet Explorer. Todas já foram atualizadas pela Microsoft, com o update sendo aplicado automaticamente pelos usuários que possuem essa opção ativada. Aos outros, a empresa recomenda que o download seja feito o mais rapidamente possível.

Ainda de acordo com a Microsoft e o pesquisador responsável pela descoberta, a falha não está disponível no Edge, a mais recente versão do navegador oficial da empresa. De forma a garantir a integridade dos dados dos usuários, a brecha foi revelada apenas depois que sua solução já estivesse disponível para o público.

Mesmo com o problema resolvido, como sempre, fica a orientação – evite clicar em links que venham de fontes não confiáveis. Caso um desconhecido mande a você algo do tipo, não acesse o site em questão. Além disso, é sempre bom ter firewalls e antivírus ativos no computador, de forma a ampliar a segurança da máquina.

Fontes: Microsoft, Engadget

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.