Link esquisito está fazendo abas do Google Chrome travarem

Por Redação | 08 de Abril de 2015 às 11h35

Não se espante caso seu Google Chrome comece a travar repetidas vezes nas mesmas páginas, pois pode não ser necessariamente um problema no seu computador. Nesta terça-feira (07), foi descoberto um bug que causa o travamento repentino das abas do navegador através de um link gigantesco, que precisa apenas ser colocado em páginas da web para que a falha seja ativada.

Não se trata de um ataque hacker nem nenhum tipo de ameaça à segurança dos seus dados. Para causar o problema, basta que um usuário poste o link esquisito em uma página de comentários, por exemplo. Dessa forma, mesmo sem ser exibida na tela, a URL é capaz de causar o travamento completo do navegador, impossibilitando o acesso nas versões Windows e Mac do software, além de algumas distribuições do Linux.

O problema foi descoberto no Reddit e, aparentemente, estaria relacionado à forma com a qual o Chrome lida com as URLs clicáveis. Links longos demais, ou mal formados, estariam causando o problema, que atinge todas as versões do navegador, inclusive a 41, que é a mais recente. Aparentemente, a falha tem a ver com o gerenciamento de memória para as abas – uma vez que o tal endereço é exibido na página e, sozinho, é capaz de esgotar completamente o recurso para aquela instância, causando o travamento.

Mesmo não se tratando de uma praga que se instala no computador ou que tenta roubar dados dos usuários, o problema merece atenção, principalmente dos administradores de sites. Com um único comentário, usuários são capazes de bloquear completamente o acesso às páginas por uma boa parcela de usuários, uma ação que pode significar de tudo, desde uma simples brincadeira até uma interrupção deliberada, mesmo que apenas para um segmento, de um serviço ou rede social.

Ainda, o problema lembra outro caso parecido de anos atrás, quando usuários de iOS viram seus equipamentos travando após receberem uma série de caracteres em árabe. Para muita gente, isso significou a inutilização do WhatsApp, por exemplo, já que apenas apagar toda a conversa com o usuário que enviou os códigos resolveria o problema e liberaria o uso do aplicativo. Apesar de retornar de vez em quando de novas maneiras, a falha já teria sido solucionada pela Apple.

A boa notícia é que no Chromium, a versão experimental no navegador, o problema já foi corrigido. A falha teria sido reportada aos responsáveis pelo navegador há cerca de um mês, portanto é apenas uma questão de tempo para que ela seja corrigida também no Chrome. O Google, porém, não deu uma data precisa para isso.

Fontes: Venture Beat, Reddit (cuidado, contém o link)

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.