Google está testando bloqueador de anúncios “pesados” para o Chrome

Por Felipe Demartini | 04 de Julho de 2019 às 11h58

Apesar de ter os anúncios como uma de suas grandes fontes de renda, a Google continua seu trabalho em prol do uso consciente disso. E em uma nova linha de desenvolvimento do Chromium, projeto que firma as bases do Chrome, a empresa está desenvolvendo um bloqueador de propagandas “pesadas”, que consomem muitos recursos da internet ou do sistema do usuário.

Como normalmente acontece com impedimentos desse tipo, os requisitos para esse bloqueio são citados de forma direta para que webmasters e desenvolvedores também possam se adequar. De acordo com o commit do Chromium, as propagandas serão consideradas pesadas caso consumam mais de 1% da banda larga ou do processamento da CPU por minuto, até um limite máximo de 4 MB ou 60 segundos.

Caso tais limites sejam ultrapassados, o anúncio tem sua exibição interrompida e substituída por uma mensagem de erro que indica, justamente, que a propaganda estava consumindo recursos em demasia e foi removida pelo Chrome. Segundo os desenvolvedores, os limites atuais podem ser modificados na medida em que o trabalho segue adiante e mais informações sobre a utilização dos reclames é obtida por eles.

Equipe do Chrome trabalha em bloqueador de anúncios "pesados", que consomem muitos recursos da máquina e rede (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

O sistema também teria um funcionamento diferente do atual bloqueador de anúncios do Chrome, trabalhando apenas sobre propagandas específicas. Dessa forma, uma página poderia continuar a exibir os reclames, mas sem que aquele específico que está causando problemas ao sistema apareça.

Como sempre acontece, o trabalho ainda está em desenvolvimento e não possui data para disponibilização pública, nem mesmo uma confirmação de que efetivamente se transformará em realidade. A Google não se pronunciou sobre o assunto, enquanto os responsáveis pelo navegador continuam aprimorando a função.

Fonte: Chromium Review, 9to5 Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.