Google aposentará aplicativos do Chrome no Windows, Mac e Linux

Por Redação | 22.08.2016 às 06:49

Exceto usuários do Chrome OS, quem realmente utiliza aplicativos no Chrome? Certamente esses apps são úteis para muitas pessoas, mas ainda assim a porcentagem de usuários Windows, Mac e Linux que realmente fazem uso dessas ferramentas não é tão grande. Justamente por isso o Google decidiu aposentar os aplicativos de seu navegador para esses sistemas operacionais.

A gigante afirmou que apenas 1% dos usuários do Chrome que usam os aplicativos têm esses sistemas operacionais, então a companhia entendeu que não vale a pena manter os apps do navegador em plataformas além do Chrome OS. A equipe de desenvolvimento do navegador do Google acredita ser mais válido simplificar o Chrome (e, consequentemente, melhorar seu desempenho) do que manter ferramentas que não são utilizadas pela maioria dos usuários.

“Todos os tipos de aplicativos do Chrome permanecerão com suporte no Chrome OS”, garantiu Rahul Roy-Chowdhury, vice-presidente de produtos da companhia, que também explicou que novidades nesses apps serão aplicadas somente no sistema operacional do Google, e que desenvolvedores podem continuar criando aplicações para o Chrome para esse sistema operacional.

A grande mudança acontecerá em partes: a primeira, começando no final de 2016, fará com que os aplicativos publicados mais recentemente apareçam somente no Chrome OS. Os apps já existentes continuarão disponíveis para os demais SO, por enquanto. Já no segundo semestre de 2017, a Chrome Web Store não oferecerá mais os aplicativos do navegador para Windows, Mac e Linux, mas continuará ofertando o download de extensões e temas normalmente. Por fim, no início de 2018, a aposentadoria dos apps do Chrome nesses sistemas operacionais será oficializada.

E como ficam os usuários que fazem parte do 1% que realmente faz uso dos apps do Chrome nos sistemas operacionais mencionados? A companhia está encorajando os desenvolvedores a adaptarem seus aplicativos para a web. Dessa forma, os usuários continuarão contando com as ferramentas oferecidas mesmo após elas desaparecerem do Chrome. “Os desenvolvedores que não conseguirem mover seus apps completamente para a web podem nos ajudar a priorizar novas APIs para preencher as lacunas. E, a curto prazo, eles também podem considerar transformar seus apps em extensões do Chrome ou usar plataformas como Electron ou NW.js”, disse Roy-Chowdhury.

Fonte: Chromium Blog