Chrome passa a consumir mais memória RAM após correção de falhas do Spectre

Por Eduardo Hayashi | 13 de Julho de 2018 às 12h21

A Google divulgou recentemente em sua página oficial de segurança digital o lançamento de uma atualização para o Chrome para isolar todas as ameaças e vulnerabilidades críticas presentes em diversos modelos e marcas de processadores atingidos pelo Spectre.

Segundo a gigante das buscas, o principal componente para manter as ameaças do Spectre longe dos usuários é o Site Isolation, ferramenta que foi implementada com o lançamento do Chrome 67 para Windows, macOS, ChromeOS e Linux.

O Site Isolation anula o funcionamento de qualquer ameaça digital do Spectre que esteja alojada em um site qualquer, carregando as informações em um ambiente isolado e protegido do navegador para que os invasores não consigam acessar dados pessoais ou informações de navegação do usuário.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Medida aumenta o uso de memória RAM

Apesar de esta ser uma medida eficiente para evitar o Spectre, a execução de processos em paralelo para proteger o sistema de ameaças acaba resultando em um aumento de consumo de memória RAM de cerca de 13% em comparação com a versão anterior do navegador.

“O Site Isolation faz com que o Chrome crie mais processos de renderização, o que vem com trocas de desempenho: pelo lado positivo, cada processo de renderização é mais curto, e possui menos contenção internamente, mas há uma sobrecarga de entre 10% e 13% de memória total em cargas de trabalho reais por conta do grande número de processos”, explica Charlie Reis, engenheiro de software da Google.

Fonte: Google Security Blog

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.