Não utilizem o Internet Explorer, recomenda o governo norte-americano

Por Redação | 29.04.2014 às 11:33 - atualizado em 29.04.2014 às 16:22

Não é comum que governos se metam na concorrência entre os navegadores de internet, mas a descoberta de uma nova vulnerabilidade que afeta as versões 6, 7, 8, 9 ,10 e 11 do Internet Explorer fez com que o Departamento de Segurança dos Estados Unidos emitisse um comunicado oficial recomendando que os usuários deixem de utilizar o browser da Microsoft.

O novo bug, anunciado pela própria Microsoft no último sábado (26), permite a execução remota de códigos maliciosos pelo simples acesso do usuário a páginas comprometidas. O malware poderia roubar dados pessoais ou até mesmo ganhar acesso total à máquina da vítima.

A FireEye, empresa de segurança responsável pela detecção da falha, informou que o erro tem sido explorado para roubar dados financeiros e atacar agências do governo norte-americano. O ideal é que se deixe de utilizar o Internet Explorer até que os patches de correção da falha sejam liberados, diz o comunicado. Mas para aqueles usuários que por algum motivo não podem realizar a mudança imediatamente, a FireEye recomenda que seja desabilitado o plugin Flash Player no navegador.

De acordo com o Departamento de Segurança norte-americano, o usuário também pode utilizar o Internet Explorer em conjunto com o EMET para minimizar os riscos, o que, de qualquer maneira, não será tão eficaz quanto simplesmente fazer a troca de navegador. Já aos usuários do Windows XP não resta outra alternativa.

A StatCounter estima que cerca de 22% das pessoas ainda utilizam o Internet Explorer e a NetMarketShare coloca esse número em 55%. Independente da disparidade, o número de pessoas que podem estar vulneráveis a essa nova ameaça ainda é muito grande.